Paladar

Bebida

Bebida

Livro mostra como fugir de obviedades para combinar queijo e vinho

Queijos brasileiros à mesa, de Bruno Cabral e Manoel Beato, é um guia para fugir das obviedades em torno do queijo. Primeiro por sair do universo dos europeus, dedicando-se às famílias queijeiras brasileiras; segundo pela ambição, já revelada no subtítulo, de ir além da previsível regra que dita que queijos nasceram para vinhos.

24 junho 2015 | 19:29 por redacaopaladar

FOTO:  JR Diorio / Estadão

Bruno Cabral é mestre queijeiro e Manoel Beato, um dos principais sommeliers do Brasil. Juntos, os autores vão além das taças de tintos e brancos e indicam combinações possíveis de queijos tupiniquins com cachaças e cervejas.

Mas não espere harmonizações fechadas: a dupla não indica rótulos, prefere mostrar como os diferentes estilos de bebidas combinam com os queijos, deixando o casamento de sabores a cargo do leitor. “Ao meu ver, o grande ponto dessa proposta é a harmonização de queijos com cachaça, ainda muito pouco explorada”, diz Cabral.

O livro também avança na apresentação das famílias queijeiras e seus representantes no Brasil. Em um mapa com as principais regiões produtoras, os autores mostram os queijos mais tradicionais fabricados no País, como os já conhecidos coalho do Nordeste e os queijos artesanais de Minas (canastra e do serro). Há também os desconhecidos embriago d’Alagoa, feito em Alagoa (MG) e maturado em licor de jabuticaba, e os Arupiara e Cariri, produzidos em Taperoá, interior da Paraíba.

Queijos brasileiros à mesa

Autores: Bruno Cabral e Manoel Beato

Editora: Senac

Preço: R$ 114,90 (169 págs)

Ficou com água na boca?