Paladar

Bebida

Bebida

Só de birra

Heloisa Lupinacci

Prepare a agenda de fim de ano para eventos cervejeiros interessantes

Dois eventos 100% online serão promovidos em novembro e dezembro, o webinar Além do Copo e o Beer Summit, respectivamente

30 de outubro de 2020 | 03:00 por Heloísa Lupinacci, O Estado de S.Paulo

Este ano tão peculiar gerou um calendário de fim de ano bastante interessante para quem gosta de, além de beber, ouvir e refletir sobre cerveja. Ele é fruto de outra movimentação bem interessante deste ano tão intenso no mundo cervejeiro: a articulação de mulheres em torno do tema diversidade e cerveja.

São grandes mulheres do mundo cervejeiro que estão por trás dos dois eventos 100% online, promovidos em novembro e dezembro, com nomes e temas que despertam a atenção. O webinar Além do Copo toma todo o mês de novembro e o Beer Summit começa em dezembro.

Se você entrou na pandemia pensando "vou aproveitar esse momento para estudar" e até agora não conseguiu muito avançar neste projeto, estão aqui duas boas oportunidades de por o plano em prática antes que o ano acabe.

Webinar Além do Copo e Beer Summit abordam temas interessantes do mundo cervejeiro.

Webinar Além do Copo e Beer Summit abordam temas interessantes do mundo cervejeiro. Foto: Fernando Sciarra/Estadão

Em novembro

Além do Copo

Com dois eixos temáticos – um mais teórico e outro mais voltado para produção de cerveja – o evento, criado e organizado por mulheres, tem line-up exclusivamente feminino e temas intrigantes. Não vou perder a palestra da sommelière Cilene Saorin: "História cervejeira contada pelo olhar das bruxas" (24/11). E para quem faz cerveja, recomendo um olhar atento para discussões como "Como Fazer Receitas Premiadas", com Anne Galdino (vencedora do Eisenbahn Mestre Cervejeiro), Maíra Kimura (Japas) e Débora Lehnen (Proa), no dia 22/11.

Ingressos: à venda na Sympla. Você pode comprar o eixo temático completo (R$ 160) ou os eventos avulsos (R$ 25). As palestras duram duas horas e os eventos ficam gravados e disponíveis por até 30 dias.

Garrett Oliver, mestre cervejeiro da norte-americana Brooklyn, é dos nomes de peso do Beer Summit.

Garrett Oliver, mestre cervejeiro da norte-americana Brooklyn, é dos nomes de peso do Beer Summit. Foto: Daniel Dorsa/NYT

Em dezembro

Beer Summit

Com cinco programas (negócios, sommelieria,produção, tecnologia e diversidade), o Beer Summit vai reunir 140 palestrantes, vindos de 13 países, de 4 a 12 de dezembro. Com nomes incríveis, como o ícone Garrett Oliver (EUA, Brooklyn), Fall Allen (EUA, Anderson Valley), Michael Zepf (Alemanha, Doemens), Rudi Ghequire  (Bélgica, Rodenbach) e muitos outros. O evento tem um bom número de palestras sobre a América Latina (tão perto e tão longe) e também grandes nomes do Brasil, alguns que você conhece bem, como Carolina Oda (sommelière que já foi autora desta coluna). Agora o mais legal: uma das trilhas é gratuita. A primeira, sobre diversidade. Ela abre o evento (de 4 a 13 de dezembro) com quatro palestras sobre o tema que dominou a agenda cervejeira deste ano. “O Summit é algo nunca feito antes. Vamos oferecer um local de troca de experiências e palestras com profissionais de renome internacional”, resume Amanda Reitenbach, idealizadora do evento e CEO do Science of Beer.

Ingressos: à venda no site do Beer Sumit. Você pode comprar uma trilha (R$ 105),  duas trilhas (R$ 195), três trilhas (R$ 292) ou todas (R$ 340).

Guinness lança cerveja sem álcool

Nesta semana, a versão sem álcool da clássica stout irlandesa começou a ser vendida em latas na Inglaterra e na Irlanda – a versão chope deve começar a ser distribuída ainda no começo de 2021. Para o resto do mundo, só em meados do ano que vem. O processo de produção segue o tradicional, com a diferença de que no final ela passa por uma filtragem a frio para remover o álcool.

Nova Guinness sem álcool é lançada na Inglaterra e na Irlanda. 

Nova Guinness sem álcool é lançada na Inglaterra e na Irlanda.  Foto: Guinness

Vou querer a brown ale, por favor

Falando em clássicos da Grã-Bretanha, alguém viu alguma brown ale por aí? Com notas de caramelo, chocolate e castanhas, aquela linda cor acastanhada, goles leves, essa cerveja tem um lugar bem específico na gama de sabores/aromas cervejeiros – e ele anda meio vazio. As importadas sumiram e as versões nacionais são locais ou sazonais. Se alguém vir alguma, me avisa.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências