Paladar

Bebida

Bebida

Produzido na sala de estar

Por Maeli Prado

06 março 2013 | 23:23 por redacaopaladar

Os primeiros litros do Sacred Gin foram engarrafados em maio de 2012, e salvaram a vida do seu idealizador, Ian Hart, que com a crise de 2008 viu naufragar uma carreira como headhunter do mercado financeiro. Na época, seu principal cliente era o banco de investimentos Lehman Brothers, o pivô da turbulência econômica.

“Ninguém estava contratando no setor financeiro, ou seja, não precisavam de um headhunter, e eu teria de achar outra forma de ganhar a vida”, conta. Formado em Ciências Naturais, lembrou que desde criança se interessava muito por destilação. E apostou.

O Sacred é produzido na sala de estar da casa onde vive com a mulher e sócia, Hilary Whitney, em uma rua tranquila de Highgate, no norte de Londres. O cômodo foi transformado na “linha de produção” do gim e lembra um laboratório químico, com frascos e grandes potes que armazenam os extratos das ervas e especiarias usados na destilação.

A técnica de produção do Sacred usa recipientes de vidro em vez dos tradicionais potes de cobre, e congelamentos sucessivos, em uma destilação à vácuo.

Virada. Ex-headhunter, Ian Hart se viu sem trabalho e decidiu começar a fazer gim. FOTO: Divulgação

Os 12 ingredientes botânicos que entram na receita são macerados separadamente, junto do trigo, em um processo que dura de quatro a seis semanas. De acordo com Hart, isso garante que cada ingrediente mantenha o sabor puro. “Além disso, como a temperatura é muito mais baixa, os destilados ficam mais frescos e suculentos.”

O Sacred foi desenvolvido a partir de um estudo feito por Hart de textos históricos sobre o gim do século 16. Leva olíbano, usado em incenso, que é a resina de uma planta chamada Boswellia Sacra, e que empresta seu nome à bebida. Além das tradicionais bagas de zimbro, o Sacred também é aromatizado com canela, cardamomo, raiz de angélica, noz-moscada e sementes de coentro, entre outros.

+ A nova febre do gim

Aos domingos à noite eu costumava levar nossa última receita de gim para o pub local, o The Wrestlers, para as pessoas provarem”, lembra Hart.

A receita foi sendo afinada e as provas se repetiram sempre com o apoio do generoso proprietário do pub até chegarem à fórmula final do Sacred. Deu certo. Entre outros prêmios, ganhou o primeiro lugar na competição GinMasters 2009, promovida pela revista The Spirits Business.

Hart produz 1.500 garrafas por mês, vendidas para bares de hotéis e lojas tradicionais como a Harrods e a Selfridges. Também exporta, em pequenas quantidades, para os EUA, Austrália, Japão, Taiwan, Espanha, Alemanha, Holanda e Bélgica.

>> Veja todas as notícias da edição do Paladar de 7/3/2013

Ficou com água na boca?