Paladar

Bebida

Bebida

Saca essa rolha

Isabelle Moreira Lima

Safra 2016 do icônico vinho chileno Don Melchor acaba de chegar ao Brasil

O enólogo Enrique Tirado comenta a trigésima safra do rótulo ícone da vinícola Concha Y Toro

21 de agosto de 2019 | 17:26 por Isabelle Moreira Lima

O enólogo Enrique Tirado é o responsável pelo ícone chileno Don Melchor (R$ 677 na Ville du Vin), da Concha Y Toro, cuja safra 2016, a trigésima da marca, acaba de chegar ao mercado brasileiro.

Um vinho muito elegante, com aromas supercomplexos, que tem longo potencial de vida (20 anos, estima Tirado), mas que já faz bonito hoje após meia hora de decanter - em contato com o oxigênio, os aromas de ameixa, terra úmida e chocolate ficarão mais nítidos.

Enrique Tirado, enólogo responsável pelo vinho Don Melchor. 

Enrique Tirado, enólogo responsável pelo vinho Don Melchor.  Foto: Concha Y Toro

Quais são as características mais importantes da safra 2016 e como aparecem nesta edição do Don Melchor?

Tivemos temperaturas inferiores às habituais no vinhedo de Puente Alto e mais precipitação, com chuvas abundantes na metade do período de colheita. Os solos pedregosos de Puente Alto contribuíram muito para drenar a água e nos permitiram um amadurecimento equilibrado, presente no vinho. Estas características fazem com que a safra 2016 do Don Melchor – composta por 93% de Cabernet Sauvignon, 3% de Cabernet Franc, 3% de Petit Verdot e 1% de Merlot – seja marcada pela fineza. O vinho tem forte expressão aromática, um ataque gentil, equilíbrio nos sabores e final de boa duração. 

Como tem sido a evolução do Don Melchor desde o primeiro cultivo? Ele mantém o mesmo padrão de aroma e sabor ano após ano, ou cada cultivo tem suas próprias características?

Apesar de cada uma das safras do Don Melchor ser diferente – diversos fatores interferem, tais como a porcentagem de cada lote de Cabernet Sauvignon que dá vida a cada safra em particular, o clima, a época em que decidimos colher a uva, o amadurecimento dos frutos, etc.–, minha evolução tem sido voltada à procura da fruta viva e fresca e, ao mesmo tempo, tentar obter uma concentração controlada em boca, que tenha equilíbrio. 

Como você chegou à safra 2016? Tem algum grupo que prova com você? 

A safra 2016 contém um pequeno percentual de Petit Verdot. Esta é uma variedade que plantamos pela primeira vez em 2006, e que foi usada pela primeira vez em 2015. Em uma safra mais complexa, de muitas chuvas, de vinhos como o de 2016, decidimos incorporar uvas Petit Verdot, que conferem energia e força.  Desde a primeira safra do Don Melchor, a família de especialistas franceses Boissenot, assessores de châteaux de Bordeaux como Latour e Margaux, é envolvida na decisão do blend final do vinho. 

Você acredita que o Don Melchor é seu trabalho de maior destaque?

Sem dúvida. Sinto muito orgulho de ser parte da história do Don Melchor. Com os anos você passa a ter uma proximidade diferente com o vinho, sente como se ele fosse parte de você.

Don Melchor 2016 tem aromas de ameixa, terra úmida e chocolate.

Don Melchor 2016 tem aromas de ameixa, terra úmida e chocolate. Foto: Concha Y Toro

LEIA MAIS:

Três perguntas para Marcelo Papa, enólogo da Concha y Toro

Tratado Mercosul-UE deve mudar geopolítica da adega

Ficou com água na boca?