Paladar

Bebida

Bebida

Torrontés ‘mais sério’

Primeira enóloga formada na Argentina, atual presidente da associação Wines of Argentina, pioneira em Salta e na divulgação da Torrontés, Susana Balbo está lançando um novo vinho, o BenMarco Torrontés, fermentado em barrica. Menos tropical do que os vinhos dessa cepa costumam ser, o BenMarco tem boa estrutura e é uma expressão um pouco mais séria da Torrontés. A enóloga veio ao Brasil apresentar o vinho e o Paladar aproveitou para entrevistá-la.

16 julho 2014 | 20:32 por marcelmiwa

Susana e os filhos: Ana cuida do marketing da vinícola; José também é enólogo. FOTOS: Divulgação

Por que a exportação de vinhos argentinos para o Brasil caiu nos últimos dois anos?

Sabe quando tudo corre bem e dizemos que os planetas estavam alinhados? Então, especialmente no último ano os planetas estavam completamente desalinhados. No Brasil houve uma desvalorização do real frente ao dólar e a tributação seguiu crescendo. Na Argentina, a inflação esteve alta e a péssima relação comercial com o Brasil, por culpa do governo argentino também pesou. Ao mesmo tempo, em 2013 os vinhos chilenos tiveram benefício fiscal para entrar no mercado brasileiro, o que ajudou a brecar os exportações do vinho argentino. Foram condições alheias à vontade das vinícolas.

Ainda há regiões a serem descobertas na Argentina?

Não acredito nisto. O que está havendo é a busca de microrregiões dentro de regiões conhecidas. Estamos fazendo um trabalho sério para identificar as singularidades de locais como Altamira, Gualtallary ou Vista Flores. As macrorregiões estão definidas, o clima está mapeado e estamos olhando para a terra e o subsolo.

A Argentina tem espaço para novas variedades?

Claro, e muitas já estão sendo cultivadas. A Argentina buscou uma posição no mundo do vinho apoiada em suas variedades mais conhecidas, como Malbec e Torrontés. Hoje estamos numa segunda fase, com foco na Cabernet Sauvignon e nos blends.

Você está apostando em vinhos com menos madeira?

Sim, os consumidores estão aprovando vinhos com menor contribuição de madeira.

E acabamos de construir uma nova ala na vinícola, um andar climatizado, com tanques de cimento, em formato de ovo, além de barricas maiores de carvalho, que marcam menos o vinho.

Desistiu da China?

A consultoria era desgastante física e mentalmente. A distância é longa e os resultados não eram satisfatórios. Hoje só vendo meus vinhos lá, e vou uma vez por ano.

BenMarco Torrontés. Encorpado, o novo vinho de Susana Balbo é uma versão mais sóbria da uva, fermentada em barricas de carvalho

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 17/7/2014

Ficou com água na boca?