Paladar

Comida

Comida

Afinal, alimentos orgânicos são mais caros?

'Paladar' comparou preços de alimentos orgânicos e convencionais em feiras, supermercados, empórios e coletivos que vendem diretamente do produtor

01 de agosto de 2019 | 00:20 por Redação Paladar, O Estado de S.Paulo

A equipe do Paladar fez uma corrida para comparar os preços de alimentos convencionais e orgânicos. Ao todo, visitamos dez lugares – quatro supermercados de grandes redes (Carrefour, Pão de Açúcar, Sonda e St. Marche), dois mercados gourmets (Casa Santa Luzia e Quitanda), duas feiras, uma orgânica (Água Branca) e uma tradicional (Praça Benedito Calixto), além de dois espaços coletivos Instituto Feira Livre e Instituto Chão. Pesquisamos e comparamos 20 itens, entre frutas, legumes, carnes e produtos industrializados (veja, abaixo, a lista).

Cafeteria do Insituto Feira Livre

Cafeteria do Insituto Feira Livre Foto: Rafael Arbex/Estadão

A conclusão? Orgânicos ainda são, sim, mais caros na maioria dos lugares, especialmente nos supermercados – em alguns chegaram a custar três vezes mais. É o caso da batata inglesa. No Pão de Açúcar, o quilo da versão livre de agrotóxicos sai por R$ 18,98, enquanto no Instituto Chão, na Vila Madalena, o valor é R$ 6. 

+ O que são produtos orgânicos? Um guia com tudo o que você precisa saber sobre eles

Outra diferença gritante constatada entre os estabelecimentos foi no preço da banana nanica: no Instituto Feira Livre um quilo da fruta orgânica custa  R$ 2,90, já no Santa Luzia encontramos o produto por R$ 13,40 o quilo, ou seja, quase o quíntuplo do valor.  

A dica é apostar nas feiras livres e nos institutos coletivos (confira uma seleção de lojas, feiras e supermercados de produtos orgânicos), que recebem direto dos produtores e vendem sem fins lucrativos – eles cobram uma taxa, opcional, em torno de 35% sobre a compra para manter o local. Ainda assim, em alguns casos, sai mais barato comprar a versão orgânica ali do que os mesmos produtos convencionais em alguns empórios e mercados. O negócio é aprender a comprar.

+ Cestas de orgânicos: saiba onde encomendar e receba em casa

Curiosidades

Cadê?

Alguns produtos orgânicos não são encontrados tão facilmente fora do nicho. Dois exemplos notados pela reportagem foram pão e iogurte. No Carrefour, no Pão de Açúcar, no Quitanda e no Sonda não havia nenhuma opção de pão de forma integral orgânico. Dos endereços tradicionais, somente o St. Marche (R$ 7,39 o pacote) e o Santa Luzia (R$ 14 o pacote) oferecem o pão certificado. Já o iogurte com o selo orgânico, esqueça: é praticamente impossível de achar nos mercados convencionais. Nos dois dias (30 e 31/7*) em que a equipe do Paladar foi às compras, esse tipo de iogurte não foi visto nas geladeiras dos seis supermercados visitados.     

Fique de olho

Muitas vezes, aquele produto orgânico que você procura está "escondido" em algum lugar do supermercado. Não são todos os estabelecimentos que têm uma área destinada especialmente aos orgânicos, sobretudo aos industrializados. Há locais que armazenam, por exemplo, os orgânicos nas prateleiras comuns, ao lado dos itens convencionais. Olhe bem antes de desistir da compra.

Lista de compras do Paladar

Alface crespa (1 pé)

Couve-manteiga (1 pé)

Salsinha (1 pé)

Tomate-cereja (kg)

Abobrinha italiana (kg)

Batata inglesa (kg)

Pimentão (kg)

Banana nanica (kg)

Morango (kg)

Ovo vermelho (10 unidades)

Iogurte (340g)

Filé de peito de frango (kg)

Arroz agulhinha (1 kg)

Feijão carioca (1 kg)

Açúcar cristal (1 kg)

Café em pó 100% arábica (500g)

Chá (10 sachês)

Pão de forma integral (1 pacote)

Biscoito de cacau (1 pacote)

Suco de uva (1 litro)

*Os preços foram checados entre os dias 30 e 31/7.

Ficou com água na boca?