Paladar

Comida

Comida

Chef Bel Coelho mostra em receitas suas andanças pelo Brasil

20 setembro 2014 | 16:44 por redacaopaladar

Por Daniel Telles Marques

As andanças de Bel Coelho pelo Brasil deram o que falar: viraram aula no 8° Paladar Cozinha do Brasil e inspiração para as receitas que a chef serve no menu degustação do Clandestino, sua nova aposta gastronômica. Em suas viagens, ela aprendeu que, no Brasil, há liberdade gastronômica para reinterpretar clássicos. “O melhor da arte é absorvê-la sem muito pensar”, disse, sobre seu processo de criação de receitas. Durante a aula, reinterpretou, livremente, a cartola, o tacacá e o mexido mineiro.

Na reinvenção da cartola, tradicional sobremesa nordestina, restaram apenas os ingredientes: mel, queijo e banana. O resto a chef transformou. O mel de engenho virou sorvete, a banana, em vez de assada, foi “maçaricada” e o queijo (mineiro, não o de coalho) virou creme. Já o tacacá que ela chama de seu, ganhou aviú, o micro camarão do Pará. “No tacacá, não vai aviú”, disse uma paraense presente na sala. “Meu Deus, tem um paraense aqui. Eu mexi num patrimônio”, respondeu a chef, rindo.

A influência do mexidão se materializou no ovo perfeito, com couve frita, farofa milho e paio, servido a cada um dos participantes. “Pode ser ovo frito ou pochê”, ensinou Bel para quem não tem na cozinha de casa uma estrutura de restaurante. “A gente vai adaptando”, explicou sobre as possibilidades das receitas.

A chef se disse em casa quando convidou as pessoas a se aproximar do junto do fogão e, como em casa, serviu um cafezinho, descoberto em suas viagens – sem nem ter precisado ir para muito longe. “No Brasil, ainda tem uma tendência a não se preocupar tanto com o café”, alertou. A chef trouxe de Mococa (SP), o produtor Felipe Croce, que, além dos grãos da Fazenda Ambiental Fortaleza, carregou na mala água da nascente da fazenda onde os grãos são cultivados. “98% do café é água”, disse o produtor.

“Não adianta se preocupar tanto com o menu e, no final, servir um café ruim. Tem de fechar a refeição com chave de ouro”, disse Bel.

Ficou com água na boca?