Paladar

Comida

Comida

Chef brasileiro é revelação na Espanha

Um brasileiro foi eleito o Cozinheiro Revelação no Madrid Fusion, na semana passada em Madri. Ele é Diego Gallegos, chef-proprietário do Sollo, restaurante de apenas dez lugares, em Benalmádena, na província andaluz de Málaga. Apesar do nome espanholado, Diego nasceu em Campinas. Vive há uma década na Espanha onde é mais conhecido como el jefe de caviar. O apelido se explica: o Sollo é um restaurante especializado em esturjão – peixe cujas ovas dão origem ao caviar.

11 fevereiro 2015 | 20:51 por Míriam Castro

Confira o trailer do filme Sollo, que contará a trajetória do chef:

LEIA MAIS

O campineiro estudou para ser cozinheiro e participou de concursos de talentos em gastronomia – “antes da crise, eles davam muito dinheiro ” – e ganhou A 12 mil, usados em viagens para estagiar em cozinhas pelo mundo. No Brasil, passou três meses no D.O.M. De volta à Andaluzia, trabalhou em uma rede de hotéis como chef executivo. “Durante um ano, juntei dinheiro para meu restaurante.”

Ele abriu o Sollo em dezembro de 2013 e pouco mais de um ano depois levou o prêmio no Madrid Fusión, e, com ele, um aumento de projeção – e de expectativas. Vencedores de edições anteriores já se consagraram. O madrilenho Montia, cujos chefs ganharam em 2014, conseguiu sua primeira estrela Michelin dez meses depois. David Munõz, Cozinheiro Revelação do Madrid Fusión em 2008, acaba de receber sua terceira estrela no guia francês. Mas Gallegos não quer falar disso: “Melhor não falar antes da hora”.

Projeção. Chef brasileiro vai ampliar o salão do restaurante e viu as reservas aumentarem assim que venceu o prêmio do Madrid Fusión

De cativeiro

Apesar de ser um peixe de água-doce, o esturjão gosta mesmo é de água salobra. Isso o tornou abundante nos estuários do Mar Cáspio e no Mar Negro, onde o peixe da espécie Huso huso pode passar de uma tonelada. Ali é produzido o caviar beluga, o mais valorizado do mundo. A pesca predatória e a poluição quase extinguiram esse conjunto de espécies que habitam o planeta há pelo menos 60 milhões de anos. Atualmente, é proibido pescar esturjão por ali e o caviar geralmente vem de pisciculturas.

Os peixes usados por Diego Gallegos também são de cativeiro. Vêm da Riofrio, uma piscicultura em Granada que diz ser a primeira empresa no mundo a produzir caviar orgânico.

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 12/2/2015

Ficou com água na boca?