Paladar

Comida

Comida

Chef gaúcho Ricardo Dornelles vence etapa nacional do Bocuse d'Or

Cozinheiro venceu classificatória brasileira da Copa do Mundo da gastronomia e agora vai ao México disputar vaga na etapa mundial

31 de outubro de 2019 | 18:26 por Victor Pinheiro, Especial para o Estado

O chef Ricardo Dornelles garantiu a classificação para a etapa latino-americana do Bocuse d’Or após vencer a final da seletiva nacional realizada no último domingo, 27, no Memorial da América Latina, em São Paulo. A próxima fase, que será no México, vai selecionar cinco cozinheiros dos continentes americanos para o torneio mundial, em Lyon, na França.

O chef Ricardo Dornelles venceu a etapa nacional do Bocuse d’Or, a Copa do Mundo da Gastronomia

O chef Ricardo Dornelles venceu a etapa nacional do Bocuse d’Or, a Copa do Mundo da Gastronomia Foto: Academia Brasil d'Or

O gaúcho, de 26 anos, apostou em um fagotini de moranga com erva-mate e bijupirá com crosta de pinhão para derrotar os chefs David Kasparian, Mauro Sierro e Lukas Miarte. A prova exigiu o preparo de um prato com uso obrigatório do peixe bijupirá e uma receita vegetariana. Os chefs também tiveram que utilizar, em ambos, ao menos um ingrediente típico da região em que vivem. 

O tempo para entrega dos pratos, no entanto, foram diferentes. Os candidatos tiveram que apresentar a receita vegetariana em até três horas, e o peixe em três horas e meia. 

Entre os jurados, estavam oito renomados chefs: Jefferson Rueda, presidente do júri, Sebastian Salas Nicolau, presidente de honra da mesa do júri, além de Paulo Shin, Luiz Filipe Souza, Thierry Buffeteau, Oscar Bosch, Juarez Campos e Naim Santos.

A competição marcou a quarta presença do chef Ricardo Dornelles em finais nacionais do Bocuse D’Or.

Bijupirá com crosta de pinhão, que o chef preparou para a prova 

Bijupirá com crosta de pinhão, que o chef preparou para a prova  Foto: Academia Brasil d'Or

O Bocuse D’Or

O Bocuse d’Or é considerado a Copa do Mundo da Gastronomia. Criado por Paul Bocuse, a competição reúne 24 cozinheiros promissores de diferentes países em uma disputa gastronômica de 5 horas e 35 minutos em frente a jurados renomados e uma platéia.   

Na edição 2019, o título do torneio ficou com o chef dinamarquês Kenneth Toft-Hansen. O representante brasileiro, Luiz Felipe Souza, chef do Evvai em São Paulo, participou da etapa final e terminou na 23º posição. O melhor desempenho brasileiro foi em 1997, quando Naim dos Santos garantiu a 10ª colocação. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências