Paladar

Comida

Comida

Chocolate nacional do começo ao fim é tema de aula, degustação e jantar

Luisa Abram leva suas barras bean to bar feitas com cacau da Amazônia para aula na Enoteca Saint Vin Saint, seguida de jantar com... chocolate

23 de outubro de 2018 | 19:10 por Ana Paula Boni

A chocolateira bean to bar Luisa Abram estará na Enoteca Saint Vin Saint na próxima terça-feira (30), às 19h, para uma noite prometida com muito chocolate. Primeiro, Luisa vai dar uma aula sobre bean to bar (chocolate artesanal feito a partir da amêndoa do cacau, do começo ao fim), quando contará suas histórias de viagens pela Amazônia em busca de cacau selvagem para as barras que vende desde 2015.

Durante a aula, os alunos vão degustar as quatro origens - Rio Juruá (AM), Rio Jari (AP), Rio Acará (PA) e Rio Purus (AC), feitas em barras 70% cacau e 81% - para entender os sabores que marcam essas diferentes localidades.

A chocolateira Luisa Abram, quando sua produção ainda era num quartinho do seu apartamento

A chocolateira Luisa Abram, quando sua produção ainda era num quartinho do seu apartamento Foto: Tiago Queiroz|Estadão

Em seguida, a chef e anfitriã Lis Cereja servirá um jantar baseado em cacau e chocolate. No couvert, tem pão de espelta de fermentação natural com cinzas de casca das amêndoas do cacau e manteiga fermentada com nibs de cacau; o prato será o arroz de mole poblano, receita mexicana feita com cacau.

Luisa e Lis são velhas conhecidas. Quando Luisa começou seu negócio, Lis foi uma das primeiras chefs procuradas para testar o chocolate dela na cozinha, em janeiro de 2015.

A noite (aula, degustação e jantar) sai por R$ 250 (por pessoa, sem bebidas).

SERVIÇO

Chocolate bean to bar na Enoteca Saint VinSaint

Onde: R. Prof. Atílio Innocenti, 811, Vila Nova Conceição

Quando: 30/10, às 19h

Quanto: R$ 250 (aula, degustação e jantar, sem bebidas)

Tel.: 3846-0384

Inscrições pelo e-mail enoteca@saintvinsaint.com.br 

As quatro barras de Luisa Abram, de quatro origens amazônicas

As quatro barras de Luisa Abram, de quatro origens amazônicas Foto: Gabriela Biló|Estadão

Ficou com água na boca?