Paladar

Comida

Comida

Colheita pífia de estrelas

A edição do Michelin França 2010 foi um pouco mesquinha na atribuição de seus famosos macarons, aquela estrela gordinha e desejada pelos restaurantes.

01 março 2010 | 20:05 por luizhorta

Nenhum parisiense subiu para a cotação máxima. Apenas um pequeno restaurante do sul, o Auberge du Vieux Puits em Fontjoncouse, perto de Narbonne, ganhou sua terceira estrela. Segundo o crítico François Simon, o chef pratica uma cozinha  “que parece se alimentar dela mesma, seduzida por seu próprio dom. Parece com as cozinhas do século passado, com sua generosidade, expressão um pouco datada mas totalmente espontânea”.

Em Paris, tudo segue quase como antes, um bistronomique, o Bigarrade, ganha sua segunda estrela e o Il Vino, de Enrico Bernardo, melhor sommelier do mundo alguns anos atrás, recebe a primeira. O bistrô de Bernardo se notabiliza por propor harmonizações perfeitas de vinhos para os pratos servidos.

No setor perdas e danos, Hèlène Darroze, perde uma estrela do seu antes festejado restaurante parisiense do 6éme, ficando com apenas uma.

E Olivier Roellinger, grande chef bretão, que ano passado devolveu as 3 estrelas de seu Maison de Bricourt e abriu um restaurante mais simples, o Le Coquillage, “bistrô marinho” na mesma localidade de Cancale recebeu 2 estrelas. Na opinião de Simon isto foi uma forma de punição, afinal a comida do chef continua tão instigante quanto antes, deveria continuar triestrelado.

Ficou com água na boca?

Ficou com água na boca?