Paladar

Comida

Comida

Cozinha italiana é destaque do Gastronomika 2014

Por Mariana Goulart

14 outubro 2014 | 19:02 por redacaopaladar

Durante quatro dias, chefs, estudantes de gastronomia e amantes da comida se reuniram em San Sebastián, na Espanha, para a 16ª edição do Gastronomika. Foram cerca de 12 mil visitantes e mais de mil congressistas reunidos entre os dias 5 e 8 de outubro. A Itália foi o país convidado e multiculturalidade da cozinha, o grande tema.

Massimo Bottura lançou seu primeiro livro. FOTOS: Divulgação

Grandes nomes da cozinha internacional subiram ao palco do congresso para cozinhar e debater. O chef italiano Massimo Bottura, da Osteria Francescana, três estrelas no Guia Michelin, foi o primeiro. Bottura lançou seu novo livro Nunca te fíes de un cocinero italiano flaco (Nunca confie em um cozinheiro italiano magro, em tradução livre), e disse que demorou 28 anos para finalizá-lo. “É um resumo do meu caos”, brincou o chef, que falou sobre a necessidade pensar e criticar a tradição, para daí evoluir – e preservá-la: “Se só resta nostalgia, você se perde nela e não progride”. O italiano preparou uma lasanha crocante e afirmou que seu grande objetivo é que o mundo desfrute da variedade da cozinha italiana, não apenas das pizzas e das massas.

O também italiano Carlo Cracco defendeu a necessidade de se “manter a identidade da gastronomia, para que se possa reconhecer as cozinhas do mundo”. O tema também foi discutido pelo espanhol Andoni Aduriz, do Mugaritz, muito aplaudido pelo público que esteve no congresso. “Em um restaurante como o Mugaritz, em que 95% dos clientes são de fora do país Basco, para quem se cozinha?”, questionou o chef, que busca em suas viagens referências para seus pratos e que tem em sua equipe pessoas de vários lugares do mundo.

O chef catalão Joan Roca, do El Celler de Can Roca, eleito o melhor do mundo em 2013 pela Restaurant, argumentou a favor da mistura de alimentos de vários países na elaboração de pratos. No palco, o chef preparou um peixe com mostarda de Girona, cidade da Catalunha onde se localiza seu restaurante, e um sorvete com huitlacoche, fungo que nasce do milho, trazido de viagens que o chef fez a países da América do Sul.

Mais de 4 mil pedaços de pizza foram servidos durante o evento

Ángel Leon, chef do espanhol Aponiente de El Puerto de Santa María e dono de uma estrela no Guia Michelin, também preparou novidades. O “Chef del Mar”, como ele mesmo se intitula, apresentou o plâncton comestível. Alguns cozinheiros já usam espécies de algas microscópicas em seus pratos, dentre eles o espanhol Quique Dacosta, que no Gastronomika preparou o plâncton com caracol e salsa verde.

Uma homenagem ao chef Pedro Arregui, que faleceu em fevereiro aos 73 anos, emocionou os participantes. Arregui, fundador do restaurante ElKano, era considerado um dos mestres no preparo de peixes assados. Karlos Arguiñano, do restaurante homônimo, entregou, emocionado, uma escultura à viúva e ao filho do chef.

Mas a pizza foi a protagonista do evento. Mais de 4 mil pedaços foram distribuídos aos visitantes ao longo dos quatro dias. Enzo Coccia, da pizzaria La Notizia, em Nápoles, a única do mundo com uma estrela Michelin, foi um dos chefs a preparar o prato. Ele trouxe da Itália fornos especiais para o preparo das autênticas pizzas napolitanas.

A próxima edição do Gastronomika acontece de 4 a 7 de outubro de 2015 e vai celebrar a culinária de Singapura e Hong Kong.

Ficou com água na boca?