Paladar

Comida

Comida

Cozinha no cinema

Patrícia Ferraz (de San Sebastián)

22 novembro 2010 | 23:44 por luizhorta

A câmara de vídeo está virando utensílio de cozinha. No primeiro dia do Gastronomika, em San Sebastian, três vídeos exibidos durante as apresentações mostram que os grandes chefs da atualidade não querem mais apenas cozinhar e escrever livros, eles agora também fazem vídeos. São filmes criativos, divertidos, sonorizados e às vezes com a atuação de colegas de cozinha como figurantes.

No vídeo bem-humorado que ilustrou sua palestra hoje, Andoni Luis Aduriz, do Mugaritz, surge pintado com olheiras e cara de deprimido “lembrando do passado quando colhia flores comestíveis antes de ser preso”. A cena seguinte é hilária: Andoni e os colegas do restaurante vestidos como bichinhos de pelúcia estão comendo flores do bosque quando são surpreendidos pelo som de uma sirene. O chef, que é um dos responsáveis pelo congresso gastronômico de San Sebastian, que termina na quarta-feira, teve humor até para brincar com o incêndio que destruiu seu restaurante no começo do ano: na última cena de seu filme ele está à beira do fogão, uma panela se incendeia ele grita fogo e pula pela janela!

Torcedor do Barcelona, Joan Rocca usou um filme para apresentar uma sobremesa chamada gol – o vídeo de um gol de Messi, com a narração original. E foi explicando que tentou reproduzir a cena num doce. Fez uma bola com um creme de maracujá, outra de chocolate, usou sorvete de limão, um destilado de erva recém-cortada, reproduziu o gramado num bowl com rede. As bolas? Ficam no gramado e a brincadeira é jogar a primeira na rede, feito um gol. Foi aplaudidíssimo.

Ferran Adrià também trouxe um filme. O mesmo que havia exibido no Madrid Fusión, reflexivo, provocador. Começa com uma lebre correndo num bosque. Ouve-se um tiro e na cena seguinte a lebre está na cozinha do elBulli onde é preparada e servida aos pedaços na parte do menu chamada de “sequências”. Além do filme, Ferran mostrou que está entusiasmado com a cozinha latino-americana, fez um taco (com pó de milho liofilizado) recheado de mole e abacate e encantou a platéia ao extrair azeite de pistaches numa prensa manual levada ao palco.

O italiano Massimo Bottura também está às voltas com um filme, que vai exibir pela primeira vez no Madrid Fusion, em janeiro de 2011. Ele está refazendo, de traz para frente, o trajeto de um famoso jornalista italiano, que nos anos 1950 navegou pelo rio Pó em busca dos pratos e receitas típicas de cada cidadezinha por onde passava. Massimo está percorrendo o mesmo caminho, partindo do ponto de chegada do jornalista. E coletando receitas locais.

Mas mesmo os cozinheiros que não empenharam a criatividade na execução de filmes usaram vídeos para mostrar seus pratos. No Gastronomika, em vez de cozinhar no palco, exibem-se vídeos com a preparação completa das receitas. O chef vai contando, descrevendo e explicando. Não tem comida? Ao contrário, cozinheiros executam as receitas nos bastidores e no fim da apresentação servem os pratos ao público.

Amanhã é o dia dos americanos no congresso. Thomas Keller, David Chang, Daniel Boulud. Para homenagear os convidados, o confeiteiro Cristian Escribá – que está casado com a boleira brasileira Patrícia Schimidt – fez uma maquete doce de Nova York com bonequinhos de cada chef. Deve ser a grande atração durante a manhã da terça-feira.

Ficou com água na boca?