Paladar

Comida

Comida

Um guia de lojas em Nova York para quem ama comer e cozinhar

A cidade mais cosmopolita dos EUA é também a mais gastronômica, e não são só restaurantes que atraem os glutões: há achados que vão além da mesa. Veja seis lugares para montar sua cozinha, abastecer a biblioteca e a adega

17 janeiro 2018 | 19:12 por Renata Mesquita

De Nova York

Alguns questionamentos frequentes de quem curte comida e vai para cidade mais gastronômica dos Estados Unidos são onde comer, o que é imperdível, e por aí vai. Sim, há muitos restaurantes indispensáveis e únicos na cidade, mas essa lista você encontra praticamente em qualquer lugar (inclusive aqui no site). 

Melhor do que comer nos melhores e mais falados restaurantes durante as férias é trazer um pedaço dessa abundância gastronômica da cidade para casa. Por isso, elaboramos um roteiro de lugares para loucos por cozinha que estão de passagem pela cidade. Ele abrange desde uma loja de especiarias e vinagres (dica do chef do Momofuko) até uma livraria que só vende livros de gastronomia, vinho e coquetelaria. 

+ Os 10 restaurantes de Nova York que você precisa conhecer, segundo o crítico do 'NYT'

S.O.S CHEFS 

Este é um segredo que você dividirá com os grandes chefs da cidade, como David Chang, do Momofuko, e Ignacio Mattos, do hypado Estela. Não espere nada sofisticado no ambiente, mas especialidade e variedade: mais de mil especiarias e temperos, vinagres, óleos, águas e essências de tudo o que se possa imaginar, do óleo de semente de tomate ao vinagre de mostarda Dijon – tudo produzido ali. Além de ingredientes do mundo todo, como mais de cinco tipos de lentilhas e o limão yuzu, um ícone da culinária japonesa.

Onde. 104 Avenue B 

 

  Foto: S.O.S Chefs

KITCHEN ARTS & LETTERS

É uma livraria dedicada à comida e à bebida, daquelas lojas de antigamente, pequena, um pouco entulhada, sem muita afetação, mas com um dono que sabe exatamente onde está cada título, do tipo de que hoje só se vê nos filmes. Aberta em 1983, é reduzida apenas no espaço, são mais de 12 mil títulos, dos livros de receita comerciais aos históricos, além das “seções” (se assim chamarmos as prateleiras sem qualquer indicação) dedicadas a confeitaria, vinho e coquetelaria. Tem lançamentos do mundo inteiro e títulos já esgotados, raridades e revistas especializadas. A chef Julia Child e James Beard, autor de livros de cozinha, são alguns dos nomes que já passaram por lá. E ainda hoje, é possível trombar com algum chef da cidade ou de passagem em busca de um título perdido.

Onde. 1435 Lexington Ave.

 

  Foto: Kitchen Arts & Letters

CHAMBERS STREET WINE

Esqueça as lojas de vinho frias e sérias que vemos por aí. A Chambers Street Wine, loja de vinhos bem ao sul da ilha, é puro calor humano e descontração. Chega a ser bem bagunçada, mas não ligue, a equipe é afiada e superdisposta a ajudar. A loja é voltada para vinhos europeus (Loire, Borgonha e Piemonte) e tenta focar nos orgânicos e biodinâmicos. Mas não se prende a isso e tem de tudo um pouco, com direito a vinhos antigos e especiais: é fácil esbarrar em um Biondi-Santi (US$ 199), ou um Château D’ Yquem 1977 (US$ 349) dispostos sem afetação nas prateleiras.

Onde. 148 Chambers St A

 

  Foto: Renata Mesquita|Estadão

JB PRINCE

Pouco antes de embarcar, perguntei a alguns chefs sobre onde ir e a JB Prince, de equipamento e utensílios, apareceu em todas as respostas. Então lá fui eu. Encontrei a porta que leva ao paraíso para quem quer montar uma cozinha (profissional) completa. Logo na entrada, a parede é revestida de cartões de restaurantes do mundo todo. Não é daquelas lojas descoladas, é na realidade um showroom, com uma variedade imensa de aparatos, como panelas de todos os tamanhos e marcas, tábuas, formas, eletrônicos e facas. Conquista até mesmos os não entusiastas da cozinha!

Onde. 36 e 31st St 11º andar

 

  Foto: JB Prince

MURRAY’S CHEESE SHOP

Situada numa simpática rua do Village, a Murray’s Cheese Shop lembra A Queijaria em SP, com o diferencial que ali eles afinam e vendem queijos não só americanos como do mundo todo, como o suíço Apenzeller. A primeira caverna do Murray’s é ali mesmo no subsolo da loja, e é até possível fazer uma visita guiada, mas hoje grande parte dos queijos vendidos ali é envelhecida no Queens. Aberta em 1940, a Murray’s tem uma filial na Grand Central Station, mas vale conhecer a matriz e provar (e trazer na mala, como eu fiz) os quejios com mofo do Queens.

Onde. 254 Bleecker St. 

 

  Foto: Tony Cenicola|NYT

WHISK

Pode parecer uma loja qualquer de utensílios, mas é muito mais. Além de simpática, oferece um universo a partir da portinha que descortina um labirinto. Na última viagem à cidade, buscava incessantemente um baneton (cesto para descansar a massa de pão). Achei que iria encontrá-lo em qualquer Williams-Sonoma, mas após dias de garimpo só a Whisk respondeu aos meus anseios. Além do belíssimo (e pouco utilizado) baneton, sai de lá com alguns bitters (tempero de drinques), um espremedor de design, e vários objetos do desejo, como o coador de café Chemex e seus apetrechos.

Onde. 231 Bedford Ave

 

  Foto: Whisk

Ficou com água na boca?