Paladar

Comida

Comida

Incontrolavelmente divertido. E bom

“Por que estamos rindo como bobos?” Lembro dessa sensação na última temporada do El Bulli, em meados de 2011, ainda nos primeiríssimos tempos de um menu de 51 itens. Era o momento dos snacks e ‘coquetéis’ de boas-vindas, servidos no terraço, como preparação para a longa refeição. Falsos amendoins, raviólis de pistaches, as famosas azeitonas líquidas e outros tira-gostos eram intercalados com as mais absurdas desconstruções de mojito, caipirinha, bloody mary, gin fizz e piña colada – esta, feita com a técnica do algodão doce, uma mininuvem muito boa de morder, onde ácidos, doces e gelados bagunçavam debochadamente os critérios, as certezas, os códigos. Rompido o invólucro de algodão, havia bolinhas de sorvete de coco, partículas de rum, cubículos de abacaxi. Enfim, era disso que ríamos: era muito bom e incontrolavelmente divertido.

09 janeiro 2013 | 22:23 por luizcamargo

+ Cumulus nimbus dulcis

+ Picolé de nuvem

+ Como (tentar) fazer em casa

Novelo. Eduard Xatruch, da equipe de Ferran Adrià, diz que no El Bulli o algodão-doce era feito em uma máquina comum. Entre as receitas criadas com o doce, flores foram envolvidas em fios doces (foto) e um prato batizado de

Ficou com água na boca?

múmia envolvia peixe na nuvem. FOTO: Reprodução

>> Veja todos os textos publicados na edição de 10/1/13 do ‘Paladar’

Ficou com água na boca?