Paladar

Comida

Comida

Japan House recebe exposição de fotos de Sergio Coimbra com chef Narisawa

A Japan House recebe a mostra Satoyama, que discute a gastronomia contemporânea do Japão com imagens de pratos do chef Narisawa produzidas pelo fotógrafo brasileiro Sergio Coimbra e que vai virar livro no próximo ano

30 agosto 2017 | 20:36 por Renata Mesquita

Esqueça sushis, lámens e outros pratos típicos de restaurantes japoneses que podem ser encontrados na Liberdade ou em qualquer outra referência local de cozinha nipônica. As receitas retratadas nas imagens que compõe a nova exposição Satoyama, que entra em cartaz no próximo dia 19 na Japan House, exaltam um Japão bem diferente e pouco conhecido por aqui.

A mostra é resultado da parceria entre o premiado chef japonês Yoshihiro Narisawa, dono do Les Créations de Narisawa, com o fotógrafo brasileiro Sergio Coimbra. As cerca de 80 imagens que compõem a exposição são resultado de três anos de trabalho dos dois, que percorreram o Japão em busca de retratar a cultura e a gastronomia local. É justamente ela que é definida por Narisawa como Satoyama Cuisine – que batiza a mostra –, “alimento para o corpo e alma” em japonês.

Primavera. o prato baby ayu retrata a mudança das estações, através dos seus elementos, o peixe ayu e as flores de sakura

Primavera. o prato baby ayu retrata a mudança das estações, através dos seus elementos, o peixe ayu e as flores de sakura Foto: Sergio Coimbra|Divulgação

O projeto Satoyama, de Narisawa e Coimbra, começou na realidade como um livro. Nos três anos de viagens do fotógrafo ao Japão, os dois se encontravam e seguiam uma rotina: visitavam fornecedores no interior, voltavam à Tóquio, para criar e fotografar os pratos e começavam tudo de novo na próxima estação. O ritual ficou tão bom e costumeiro, que não fixavam uma data para terminar o projeto. “A exposição na Japan House foi uma forma de finalmente concluir o livro”, conta Coimbra. A exposição marca o pré-lançamento da obra, que só chega ao mercado no início de 2018. Mas durante a mostra já será possível folhear uma edição especial do livro.

As fotos dos pratos de Narisawa ganham destaque nas paredes do salão e são acompanhadas de imagens de contexto, como define Felipe Ribenboim, curador da mostra. Antes da realização do prato, se observa o alimento no campo, o produtor que o maneja e seu ambiente, além de uma história por trás da criação da receita, sempre pautada nas estações do ano, que são bem definidas no Japão.

Um prato, em particular, traduz bem esse percurso: o baby ayu. A imagem apresenta um peixe, o ayu, que só pode ser consumido dessa forma no início do verão, servido com sakuras, as flores de cerejeiras, que florescem na primavera. Assim, o prato só existe em um período específico do ano, entre o fim da primavera e o início do verão. Os dois ingredientes não se encontram em nenhuma outra época. É uma narrativa poética e ao mesmo tempo instigante.

Satoyama. O prato que dá nome a exposição retrata uma floresta, e todos seus elementos vêm dela, inclusive a água servida.

Satoyama. O prato que dá nome a exposição retrata uma floresta, e todos seus elementos vêm dela, inclusive a água servida. Foto: Sergio Coimbra|Divulgação

O chef tenta passar a mensagem da necessidade de atenção à sazonalidade dos ingredientes. Além das fotografias, a mostra também apresenta aos visitantes objetos e utensílios que saíram da cozinha de Narisawa, como taças, colheres e pratos, produzidos com materiais ancestrais e modernos.

Para marcar o início da mostra, Narisawa vêm ao Brasil e vai ministrar, ao lado da chef nipo-brasileira Mari Hirata, uma palestra gratuita sobre a gastronomia japonesa, da tradicional à contemporânea. Para participar basta chegar uma hora antes e garantir uma senha.

As fotos dos pratos de Narisawa são acompanhadas de imagens de contexto. De onde os ingredientes e inspirações foram tiradas para a sua criação

As fotos dos pratos de Narisawa são acompanhadas de imagens de contexto. De onde os ingredientes e inspirações foram tiradas para a sua criação Foto: Sergio Coimbra|Divulgação

INTERCÂMBIO 

Inaugurada em maio, a Japan House São Paulo é um espaço dedicado à cultura japonesa. Uma iniciativa do governo japonês que tem o intuito de criar uma ponte entre o Japão do século 21 e o Brasil contemporâneo. Para isso, tem atuado em diversas frentes, entre elas e para a nossa sorte, a gastronomia. Além do restaurante Junji, do chef Jun Sakamoko, no segundo andar, e do Imi, café no térreo que oferece chás e doces tradicionais, o centro cultural tem promovido um intercâmbio com chefs japoneses, que vêm à cidade para fazer jantares e ministrar aulas para chefs brasileiros interessados em conhecer de perto a culinária tradicional e a moderna do Japão. Nesta semana, foi a vez do chef Zaiyu Hasegawa do restaurante Den, de Tóquio, classificado com uma estrela Michelin. O chef preparou dois jantares e recebeu uma turma de chefs para um workshop. A exposição Satoyama reforça essa iniciativa, com a chegada do chef Narisawa para a inauguração da mostra. Sakamoto tem atuado como cicerone dos chefs em São Paulo.

SERVIÇO

SATOYAMA

Onde: Japan House - Av. Paulista, 52, 2º andar

Tel.: 3090-8900

Quando: De 19/09 a 12/11

Horário de funcionamento: 10h/22h (dom. e fer., 10h/18h; fecha 2ª)

Entrada gratuita

Ficou com água na boca?