Paladar

Comida

Comida

Kombucha, conservas e molhos cheios de vida para levar para casa

Visando suprir o (novo) mercado de fanáticos por fermentados sócios criaram a Companhia dos Fermentados, com produtos vivos prontos para consumo

24 agosto 2016 | 17:55 por Renata Mesquita

São Paulo acaba de ganhar um paraíso dos fermentados. Kombuchas, conservas e molhos vivos agora têm endereço certo na cidade. A Companhia dos Fermentados é feita sob medida para os adeptos da onda dos alimentos vivos, que se alastra pelo mundo. Mas o fato é que mesmo quem não está nessa pegada vem sendo conquistado pelas bebidas gasosas e conservas ácidas e cheias de sabor. 

Fernando Goldenstein e Leonardo Andrade já faziam seus próprios kombuchas, conservas e outros preparos vivos para consumo próprio. Mas há pouco tempo o casal viu o potencial de transformar os fermentados em negócio.

Os dois arregaçaram as mangas e transformaram uma parte da casa onde moram em cozinha de testes. A geladeira de vinhos virou geladeira dos fermentados, que vão da inocente conserva de mamão verde com curry ao kimchi (fermentado coreano de odor poderoso). 

Os sócios, Fernando Goldenstein e Leonardo Andrade, que engarrafaram os fermentados

Os sócios, Fernando Goldenstein e Leonardo Andrade, que engarrafaram os fermentados Foto: Leonardo Andrade|Divulgação

Leonardo, que é designer gráfico, desenvolveu o site e a logo da marca (uma folha de taioba estampa os vidros). Autodidatas na nova ocupação, ele e Fernando, físico de formação, se aprofundaram nos estudos dos fermentados e afins. Contaram com ajuda de peso no desenvolvimento dos produtos: a amiga e grande conhecedora do universo dos kombuchas, keffirs e outros seres vivos Neide Rigo e a chef nipo-brasileira Mari Hirata. 

Depois de muitos testes, colocaram suas garrafas de kombucha e potes de conserva nas prateleiras virtuais (por enquanto) em maio deste ano. 

São diferentes sabores de kombucha vendidos em garrafinhas de vidro de 250 ml, 350 ml ou 500 ml. Uma opção sem cafeína, a de hibisco, gengibre e pimenta rosa (R$ 7), e outras duas com cafeína, de mate e imburana (R$ 8) e chimarrão com erva-doce (R$ 7).

De tempos em tempos lançam variações com produtos da estação, à base de ingredientes locais, respeitando a sazonalidade. Eles criaram uma seleção de molhos vivos e conservas de fermentação láctica ou salmoura – não são mergulhadas em vinagre depois de prontas, eles garantem, você leva elas para casa ainda vivas e assim elas permanecem na sua geladeira. Entre as opções estão o kimchi (R$ 16, 350g) – adaptado ao paladar do brasileiros, menos apimentado que o tradicional coreano – , o sauerkraut ou chucrute, de repolho (R$ 14, 350g), e outros legumes. A de mamão verde com curry (R$ 9, 160g) é porta de entrada para quem quer se arriscar no mundo dos fermentados.

Os únicos produtos “não vivos” da grife são os chutneys de abacaxi (R$ 10, 150g) e a geleia de casca de abacaxi com pimenta rosa e gengibre (R$ 9, 150g). 

Kombuchas. O fermentado de chá ou infusão de gosto ácido e gasosos de diferentes sabores

Kombuchas. O fermentado de chá ou infusão de gosto ácido e gasosos de diferentes sabores Foto: Leonardo Andrade|Divulgação

A dupla quer disseminar a filosofia dos produtos sem conservantes e cheios de microrganismos do bem. No site eles abriram uma aba com a opção faça você mesmo: vendem desde a mãe do kombucha ao levain, e fornecem as receitas. Se mesmo com as ferramentas à mão você sentir necessidade de uma instrução, eles fazem oficinas na cozinha, que incluem uma tarde no belo jardim da casa.

Sem chance de encontrar os produtos nas redes de supermercados, as encomendas são feitas direto do site da marca. 

SERVIÇO

www.ciadosfermentados.com.br

Ficou com água na boca?