Comida

Comida

Lancheira TikTok: veja como montar os lanches que são o hit do momento

Para a volta às aulas, mães e influenciadoras dão dicas para deixar a hora do recreio mais divertida, saborosa e saudável

29 de julho de 2022 | 05:00 por Luiza Wolf, Especial para o Estadão

Julho está terminando e, com ele, também se vão as férias escolares. É hora de as crianças voltarem às aulas - de preferência, com uma bela lancheira em mãos. O lanche dos pequenos tem sido um tema em alta nas redes sociais: mães e influenciadores fazem sucesso ao publicar vídeos com lancheiras lindas e completas. Mas, afinal, o que é preciso para montar uma lancheira de respeito?

Aí vai a primeira dica: uma boa lancheira tem muito mais a ver com variedade e com um lanche balanceado do que com receitas muito mirabolantes. “O principal objetivo é sempre a nutrição da criança. Mas é preciso pensar em lanches atrativos e práticos”, aconselha a chef Cristina Paulo, proprietária da doceria S.O.S Cupcakes e especialista em culinária para crianças.

Vídeos de como montar lancheiras divertidas e balanceadas viraram hit nas redes sociais.

Vídeos de como montar lancheiras divertidas e balanceadas viraram hit nas redes sociais. Foto: Alex Silva/Estadão

O lanche não é só importante na nutrição das crianças - na escola, a hora do lanche também é um momento de recreação, de relaxar e brincar. Não à toa, a montagem de lancheiras está em alta em redes sociais, como o TikTok.

A influenciadora Giovanna Bichels agora faz sucesso com vídeos sobre lancheiras - mas ela já publicava bastante conteúdo sobre alimentação, sempre ao lado da filha Catarina, de dois anos. “Comecei fazendo vídeos sobre introdução alimentar, porque a Catarina estava nessa fase”, conta. “Esse período passou, e eu comecei a falar de outras coisas. Quando ela começou a ir para a escola, os vídeos sobre lancheira já estavam na moda, e meus seguidores começaram a me pedir conteúdos sobre o tema”.

Se a hora do lanche é tão prazerosa para as crianças, montar a lancheira também pode ser. Confira, abaixo, dicas para preparar uma boa merenda para os filhos.

 

Não precisa inventar moda

Com o hype dos vídeos de lancheiras, alguns pais pensam que a merenda dos filhos precisa ser muito especial - e até “instagramável”. Giovanna garante que isso não é verdade.

“As crianças precisam da lancheira todos os dias, então precisa ser algo prático”, diz. “Com essa moda dos vídeos, as pessoas acham que a lancheira precisa estar cheia de receitas extremamente maravilhosas. Mas é importante pensar na praticidade também”.

 

Lanche balanceado

Como diz a chef Cristina Paulo, o principal objetivo do lanche é a nutrição. Por isso, é importante pensar em uma refeição balanceada, com frutas, sanduichinhos, biscoitos, sucos, água de coco… “É muito importante respeitar o gosto da criança, mas lembre-se que o lanche é uma ótima oportunidade para apresentar novos alimentos a ela”, aconselha a chef Cristina Paulo.

 
E a aceitação da criança, garante Giovanna Bichels, também tem a ver com a variedade no visual. “A Catarina, por exemplo, não aceita muitas frutas. Então, eu procuro variar o formato dos cortes, para dar essa diversificada a ela”.
 

Para comer com as mãos

Na hora de pensar em receitas para o lanche, lembre-se: as crianças geralmente comem com as mãos! “Pense em lanches que sejam práticos e que possam ser consumidos com as mãos ou com guardanapos”, diz Cristina. Com essa pequena regra, vale tudo: bolinhos, muffins, sanduíches, biscoitos, e frutas como uva e banana.

A chef também ressalta que o lanche precisa ser composto por receitas que não precisam ser refrigeradas, já que ficarão em temperatura ambiente dentro da lancheira por um bom tempo.

 

Fuja dos ultraprocessados

É muito fácil comprar lanches prontos, em embalagens, nos supermercados. Mas será que essa é a melhor saída para as crianças? A chef Cristina garante que não. “Fugir dos ultraprocessados é uma tarefa difícil, especialmente porque os pais têm uma rotina corrida. Mas vale a pena! Xô, caixinhas e embalagens plásticas”, incentiva.

Chef Cristina Paulo, da S.O.S Cupcakes, é especialista em culinária para crianças.

Chef Cristina Paulo, da S.O.S Cupcakes, é especialista em culinária para crianças. Foto: Alex Silva/Estadão

Ela garante que, se houver tempo, cozinhar com as crianças é uma atividade lúdica e muito benéfica aos pequenos, que começam a ter vontade de experimentar coisas novas. “Biscoitos, sanduíches, panquequinhas coloridas, smoothies vitaminados… corram para a cozinha e comecem já”, aconselha.

 

'O que importa é balancear, não privar'

Essa frase acima é dita com convicção pela chef Cristina: as crianças podem comer de tudo, desde que haja equilíbrio. Os pequenos podem, portanto, comer aquele docinho, mas com moderação. “Na minha opinião, pode ter tudo, porém não todos os dias”, diz. “Você pode até criar um dia para a criança escolher o que quer na lancheira. Por exemplo: às sextas, ela pode escolher um ou dois itens especiais. Dentro de uma lista fornecida pelos pais, é claro”.

A chef também ressalta que a escolha das receitas depende da idade da criança, para pensar em alimentos, quantidade e variedade.

O assunto é polêmico. A influenciadora Giovanna Bichels sente isso na pele - ou, melhor, na tela do celular. É que chovem comentários em suas redes sociais sobre o assunto, ora elogiando, ora criticando. “Antes dos dois anos, a Catarina não comia açúcar - foi a recomendação médica”, comenta. “Muita gente achava incrível, mas algumas pessoas achavam horrível; pediam até para colocar bolacha recheada… e muita gente que fala isso nem é mãe”.

Mas, na lancheira de Catarina, tem um pouco de tudo: biscoito de polvilho, bolo integral, bisnaguinha com manteiga de amendoim (a preferida da menina!), bolachas sem ou com pouco açúcar…

 

Boa lancheira e acessórios

Não é só de comida que vive o lanche! Tem outro detalhe bem importante: a própria lancheira. É ela, afinal, que vai conservar a merenda até a hora certa de ela ser saboreada.

É importante, portanto, escolher lancheiras espaçosas. Se tiver divisão, melhor: assim, os lanches não se misturam.

Invista em garfinhos e cortadores em diferentes formatos para chamar a atenção das crianças.

Invista em garfinhos e cortadores em diferentes formatos para chamar a atenção das crianças. Foto: Alex Silva/Estadão

Além disso, há acessórios que ajudam - e muito! - , como potinhos e garrafinhas térmicas, que ajudam a manter a temperatura. “A própria lancheira pode ser térmica”, comenta Giovanna. “Isso é bem importante, porque a criança demora para comer o lanche. A Catarina, por exemplo, vai para a escola de manhã e come o lanche só à tarde”.

 

Coloque o avental e… mãos na massa!

Quer uma inspiração para preparar um lanche delicioso para as crianças? Dá até para fazer junto com elas! Confira a receita de Muffin Salgado, da chef Cristina Paulo.

Muffin salgado

Rendimento: 8 muffins

Ingredientes

1 abobrinha ralada (cerca de 175g)

4 cebolinhas, finamente picadas

225g de farinha

1 colher (chá) de fermento

1 tomate assado e picado

100g de parmesão ralado fino

Alguns ramos de alecrim, finamente picados

2 ovos batidos

90 ml de óleo de girassol

80 ml de leite integral

Preparo

1Preaqueça o forno a 180°C.
2Rale grosseiramente a abobrinha em uma peneira fina e use as mãos limpas para espremer o máximo de líquido possível sobre a pia.
3Despeje as abobrinhas em uma tigela junto com as cebolinhas, farinha, fermento, tomate, a maior parte do queijo e o alecrim picado.
4Tempere com um pouquinho de pimenta-do-reino e uma pitada de sal.
5Em outra tigela, quebre os ovos, adicione o óleo e complete com o leite. Bata um pouco e, em seguida, despeje na mistura de abobrinha. Mexa bem até obter uma massa mais homogênea.
6Divida a mistura em assadeiras para muffins, já forradas com forminhas de papel próprias para isso.
7Cubra cada muffin com o queijo restante e leve ao forno por 25 a 30 minutos até crescer, ficar firme e dourado por cima.
8Deixe esfriar completamente e divirta-se criando formas de embalar os muffins pra lancheira das crianças! Dica: Pode ser refrigerado por 3 dias.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Mais lidas