Paladar

Comida

Comida

Mistura boa

Por Cibele FreireMarco de la Roche na degustação Mixologia Brasileira

30 junho 2012 | 21:29 por redacaopaladar

Na degustação “Mixologia Brasileira”, Marco de la Roche saiu em defesa da valorização do produto regional e dos sabores naturais. Essas tendências, já estabelecidas na gastronomia, só agora começam a ser introduzidas no universo das bebidas.

“Porque fazer um Dry Martini perfeito e não se atentar à temperatura e tipo do gelo, ao corte do limão, à qualidade do açúcar e à harmonização de cachaça numa caipirinha?” questionou o dono da Drink.Lab, apontando que o Brasil importou drinques, mas não aplicou as técnicas adquiridas à sua própria coquetelaria.

Marco também propõe em sua alquimia ingredientes comuns em algumas regiões, mas ainda pouco explorados. Cambuci paulista, chichá cerrado, ubaia, acuri, sal do índio do Iguape, mate, melado de engenho, mel de jataí do norte e guaraná Príncipe Negro são alguns deles.

Entre os alcoólicos redescobertos pelo mixologista, estão o licor de jabuticaba, de pequi e de jenipapo, a catuaba, shochu de mandioca, Tiquira e Samba Nego. Todos eles provados com entusiasmo pelos frequentadores da aula.

Para deixar claro que não é só discurso, de la Roche apresentou uma releitura do famoso Rabo de Galo. Sob o divertido nome Galaderraba, a bebida que leva cachaça com fusão de mate, vermute tinto, cubo de abacaxi e gotas de limão já está disponível em um dos bares sob sua consultoria.

Ficou com água na boca?