Paladar

Comida

Comida

No Japão, vá aos mercados para comer bem (e barato)

Uma das melhores formas de conhecer a cultura gastronômica do país sem gastar fortunas é visitar os mercados de rua. Veja como são os mercados de Tóquio, Kyoto e Kanazawa

26 de junho de 2019 | 20:18 por Renata Mesquita

Uma aventura gastronômica pelo Japão pode sair cara. Os restaurantes estrelados não custam menos de quatro dígitos e comer sushi todos os dias não é para qualquer bolso. Calma, não é que você não vá comer sushi por lá, vai sim: é possível encontrar ótimos sushis e sashimis em restaurantes de cadeia que batem muitos famosinhos daqui. Um dos exemplos mais conhecidos é o Sushizanmai, com vários endereços e é indicado por concierges de hotéis.

Mercado Omicho em Kanazawa, um dos melhores do Japão

Mercado Omicho em Kanazawa, um dos melhores do Japão Foto: Renata Mesquita/Estadão

Mas ainda melhor para assimilar a cultura culinária de um dos países mais intrigantes no quesito gastronômico é se jogar nos seus mercados de rua. Nesses lugares, é possível viver um pouco da cidade, do dia a dia da população local, e ver ingredientes frescos e exóticos de perto e sempre (sempre mesmo!) tem uma barraquinha com uma chapa quente pronta para te apresentar uma nova (e quase sempre deliciosa) receita.

Visitar o mercado local, vale para muitas cidades do mundo, como você confere aqui a experiência de Tião Oliveira, editor do Jornal do Carro pelo mercado de Seul, na Coreia do Sul.

Mas de volta ao Japão, o lendário Tsukiji, o mercado de Tóquio onde ocorriam famosos leilões de atum já não existe mais, mas um novo foi inaugurado em outro endereço no fim do ano passado, o Toyosu, bem diferente do antigo (leia abaixo). As cidades de Kyoto e Kanazawa também têm mercados imperdíveis. Confira abaixo. 

● Renovado

Toyosu 

Se você já tem passagem comprada para o Japão, deixe para trás o sonho de visitar o tradicional Tsukiji, o caótico mercado de peixes de Tóquio que abrigava o leilão de atum mais famoso do mundo e que nos últimos anos virou uma atração turística (ao ponto de precisar chegar cedo para pegar senhas).

Toyosu, o novo mercado. Agora acompanhar o tradicional leilão de atum só por trás de um vidro

Toyosu, o novo mercado. Agora acompanhar o tradicional leilão de atum só por trás de um vidro Foto: Yomi Uri

Depois de oito décadas no local, ele fechou e, no final do ano passado, reabriu em um novo endereço, às margens da Baía de Tóquio. O Toyosu, o novo mercado, é um mega complexo (são 407 mil metros quadrados), super organizado, só que muito menos charmoso que o Tsukiji. Ainda é possível acompanhar o leilão de atum, só que agora por trás de um vidro – numa espécie de aquário – a muitos metros de distância, além do mais, não dá para ouvir nada.

Quer saber se vale ir? Vale, se você gosta muito do assunto, mas baixe as expectativas. Outra grande perda é que não é mais possível transitar pelo mercado de peixes, ele não fica mais aberto ao público geral, só aos profissionais. Mas vale ir também para comer sushi super fresco em um dos restaurantes do complexo. Ainda é preciso chegar cedo – os leilões acontecem diariamente a partir das 5h, então acostume-se com a ideia de comer sushi no café da manhã.

SERVIÇO

6 Chome-3 Toyosu, Koto, Tokyo 135-0061

 

● Turístico

Nishiki 

O mercado de Kyoto é parada obrigatória, uma mistura entre mercado tradicional de comidas e uma grande feirinha de ingredientes e bugigangas. Já é um ponto turístico da cidade, mas não deixa de ser muito atraente.

Nishiki. No mercado de Kyoto são inúmeras barraquinhas de comida de rua. Se tiver coragem, dá para provar algumas, como o minipolvo com ovo de codorna no espeto

Nishiki. No mercado de Kyoto são inúmeras barraquinhas de comida de rua. Se tiver coragem, dá para provar algumas, como o minipolvo com ovo de codorna no espeto Foto: Renata Mesquita/Estadão

Primeiro, e mais importante, porque ali fica a tradicional loja de facas Aritsugu, que tem mais de 400 anos de história e fornece para os grandes sushimen do mundo – tem de todos os tamanhos e preços. Eles afiam na hora, gravam seu nome em japonês e te ensinam a limpar, lavar e guardar. Um delírio para qualquer chef ou amador.

Segundo, são inúmeras barraquinhas de comida de rua que se enfileiram nos corredores estreitos do mercado. Se tiver coragem, dá para provar algumas, como o minipolvo com ovo de codorna no espeto.

De quebra, ali você já resolve a vida comprando brindes e outras tranqueiras típicas para dar para os amigos, além de encher a mala com ingredientes – tem lojas especializadas nos mais diferentes produtos, como saquês, chás, conservas, wasabi, enfim, tudo que é indispensável trazer de volta para casa.

Serviço

609 Nishidaimonjicho Tominokoji Dori Shijoagaru, Nakagyo, Kyoto

 

● Raiz

Omicho   

Kanazawa fica na costa do Mar do Japão, então aqui você vai encontrar peixes ainda mais frescos. A cidade, apesar de não estar presente nas rotas clássicas, tem rica gastronomia – uma das melhores do país. O Omicho tem mais de 300 anos e é um dos mais conceituados mercados de peixe do Japão (perde apenas em volume para o de Tóquio).

Para o café da manhã, a sugestão é ir de kaisen don, o prato mais famoso ali 

Para o café da manhã, a sugestão é ir de kaisen don, o prato mais famoso ali  Foto: Renata Mesquita

É um mercado tradicional e zero turístico, sem firulas, é quase que um labirinto com barraquinhas vendendo de tudo (além dos peixes e frutos do mar, tem carnes e vegetais). O melhor é que ali é possível encontrar lojas especializadas em uni (ouriço). O vendedor te dá uma colher de plástico e você come na hora.

Nas franjas do mercado, há restaurantes de sushi, que começam a formar filas por volta das 9h da manhã (quanto mais cedo, melhor o peixe). Poucos ali falam inglês, mas entre na fila, acomode-se no balcão, aponte para qualquer prato do menu e espere ser servido. Foi o que fiz e deu certo. O prato mais famoso ali é o kaisen don, um bowl de arroz com fatias de peixes.

Serviço

50 Kamiomicho, Kanazawa, Ishikawa

Ficou com água na boca?