Paladar

Comida

Comida

O Brasil em San Sebastián

O chef do D.O.M., Alex Atala, em aula no Gastronomika (Foto: Janaina Fidalgo/AE)

21 novembro 2011 | 11:38 por janainafidalgo

Teve a experiência precursora de Claude Troisgros, a espontaneidade de Helena Rizzo, a articulação de Rodrigo Oliveira, o olhar para o ingrediente de Roberta Sudbrack e o discurso político de Alex Atala. E houve, entre o público do San Sebastián Gastronomika, uma primeira fileira estrelada, com Juan Mari Arzak, Andoni Luiz Aduriz, Martin Berasategui e Carme Ruscalleda.

O chef espanhol Juan Mari Arzak assistiu â aula de Atala tomando notas (Foto: Janaina Fidalgo/AE)

Os brasileiros abriram hoje o congresso de gastronomia enfocando ingredientes nacionais: o caviar de sagú de Claude, a araruta de Helena, a fava e o torresmo de Rodrigo, a banana de Roberta e o bacuri oferecido por Alex aos chefs espanhóis da plateia. Houve também espaço para discursos politizados, como o do chef do D.O.M., que lastimou a falta de apoio do governo na divulgação da gastronomia brasileira.

Helena Rizzo e Rodrigo Oliveira durante a aula de Alex Atala (Foto: Janaina Fidalgo/AE)

Em sua aula, depois de resolverem problemas técnicos, Helena mostrou o vídeo feito pelo irmão, Cristino Bins, em que aparecem o produtor de araruta do Recôncavo baiano Pedro Cone e o processo de extração da fécula — usada por pela chef para preparar o nhoque de mandioquinha no dashi de tucupi e o mingau com sorvete de banana.

Amanhã e quarta, chefs do Peru e do México, os outros dois países homenageados este ano, além do Brasil, também darão aulas no Gastronomika  sansebastiangastronomika.com).

Acompanhe a cobertura do Paladar pelo Twitter (estadao_paladar) e pelo Instagram (aplicativo do iPhone).

Ficou com água na boca?