Paladar

Comida

Comida

O nova-iorquino aprende a almoçar

The New York Times

12 dezembro 2012 | 22:10 por redacaopaladar

Para aproveitar a exposição Lunch Hour NYC (A Hora do Almoço em Nova York), na Biblioteca Pública de NY, a melhor hora talvez não seja a do almoço: o tempo é curto, as alas estão cheias, a fome atrapalha. É melhor ter tempo para ver a mostra feita pela historiadora de culinária Laura Shapiro e a bibliotecária Rebecca Federman.

+ Assim digere a humanidade

A viagem começa com cartazes e fachadas sobre comida de rua de NY. Aprendemos que pretzels tinham má fama por serem associados a cabarés; que os primeiros hot-dogs eram “o tipo de comida que as mães ensinavam os filhos a nunca comer”; como os restaurateurs japoneses adaptaram sua comida ao gosto dos nova-iorquinos; e vemos uma entrevista em vídeo com Ed Beller, inventor do carrinho de cachorro quente Admar, que virou padrão.

Mas a comida de rua é apenas um aperitivo para o muito mais complexo almoço da cidade de Nova York.

Ficou com água na boca?

Aperitivo. Cartazes e comida de rua são só o começo da exposição na biblioteca. FOTO: NYPL/Rare Book Division

Historicamente, o almoço, na tradição inglesa, era menos importante que o jantar. “Lunch” (almoço) era, pelo Dicionário de Língua Inglesa de Samuel Johnson, de 1755, “a quantidade de comida que se pode segurar com a mão”. Mas o almoço foi se modificando. Estabeleceram-se horários. Trabalhadores do centro não tinham mais tempo de ir para casa comer e voltar. A hora do almoço decolou.

Uma indústria se desenvolveu em torno do almoço. Um cartaz de 1888 de um restaurante central mostra garçons e clientes de cartola misturados num tumulto de comida e conversa. A automação, décadas depois, substituiu a confusão por uma ordem asséptica: pessoas sendo servidas sem o uso das mãos. O escritório automatizado levou à cafeteria automatizada.

A exposição reuniu gírias ligadas à restauração. Garçonetes de lanchonete dos anos 1940 chamavam gelatina de “pudim nervoso” e sopa de algo como “lava-bucho” (belly wash).

Hoje, o almoço continua sendo a refeição mais democrática, o grande nivelador da cidade, a pausa nos rituais da vida social e econômica. Qualquer um pode estar ao lado de qualquer um, agarrando tanta comida quanto a mão consiga.

SERVIÇO - Lunch Hour NYC

Em cartaz na Biblioteca Pública de Nova York, 5ª Avenida com a 42

Até 17/2/13. Grátis

Site: www.nypl.org

>> Veja todos os textos publicados na edição de 13/12/12 do ‘Paladar’

Ficou com água na boca?