Paladar

Comida

Comida

Paladar Cozinha do Brasil chega a sua oitava edição

O 8º Paladar – Cozinha do Brasil está cheio de novidades: vai ser dias 20 e 21 de Setembro, na Universidade Anhembi Morumbi, na Vila Olímpia. O evento será maior, com mais atividades, feira de produtos e comida de rua.

13 agosto 2014 | 22:08 por redacaopaladar

OS INGRESSOS JÁ ESTÃO À VENDA. GARANTA OS SEUS!

O 8º Paladar Cozinha do Brasil vai ser uma festa. Os melhores e mais famosos chefs do País se reunirão no fim de semana de 20 e 21 de setembro para celebrar a cozinha brasileira. O objetivo do encontro é trocar experiências, discutir, mostrar seu trabalho e – grande novidade – dividir a cozinha com o público. Lado a lado no fogão.

A ideia é retomar as origens do evento, que nasceu como um laboratório de pesquisa e experimentação da gastronomia brasileira em 2006, quando o Paladar reuniu três chefs de peso numa cozinha na Universidade Anhembi Morumbi. Alex Atala, Edinho Engel e Mara Salles trabalharam fechados, por três dias, para lançar as bases do que acabou se transformando no Paladar – Cozinha do Brasil, o primeiro evento gastronômico a chamar a atenção para a riqueza dos ingredientes e técnicas nacionais, enquanto os demais miravam no exterior.

Neste ano, o evento volta para a cozinha da Universidade Anhembi Morumbi, porém desta vez de portas abertas. Os chefs vão receber o público para uma gostosa conversa ao pé do fogão e compartilhar técnicas, preparos, achados, tradições e saberes.

+ VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

O lado prático das oficinas na cozinha não exclui o papo-cabeça. As aulas no formato tradicional do evento, algumas com degustação, continuam reunindo nos dois dias de evento a vanguarda das pesquisas dos chefs pelo Brasil. E neste ano um grande auditório será palco de palestras e debates, trazendo à pauta temas do momento, como a nova crítica gastronômica em tempos de redes sociais. As bebidas mantêm seu lugar cativo: vinho, cachaça, cerveja e café são temas de oficinas, aulas e degustações.

O evento cresceu. No ano passado, foram 72 atividades com a participação de 73 palestrantes, entre chefs e especialistas. Neste ano são 82 atividades com a participação de 102 palestrantes. Vai ter música ao vivo, comida de rua – mas no estilo do Paladar: Dalva e Dito, Mocotó, Dona Onça, Meats. E barraquinhas vão vender produtos especiais.

É uma festa que tem lugar para todo mundo – dos que nunca entraram na cozinha, mas gostam de comer e beber, aos que não saem de uma.

Ingressos

Os ingressos estarão à venda, a partir de amanhã, no site do Ingresso Rápido. Há descontos progressivos na compra de ingressos para diferentes atividades.

“O Paladar Cozinha do Brasil é o Brasil no foco da discussão. Esse processo de conhecimento do País não pode parar”, Mara Salles. FOTO: Tadeu Brunelli/Estadão

“É uma contribuição enorme em defesa da cozinha brasileira e seus ingredientes”, Edinho Engel

“O Paladar – Cozinha do Brasil foi o pontapé inicial”, Alex Atala

Especialidade do chef

Todo chef ou palestrante que participa do Paladar Cozinha do Brasil traz alguma coisa e leva alguma coisa. E numa reunião no encerramento (só para os palestrantes) cada um conta o que trouxe e o que levou. Pois a graça maior do evento é a chance de compartilhar as especialidades do chef – aquele ingrediente que ele trabalhou duro para dominar, o produto com que anda fascinado, a nova descoberta, um jeito surpreendente de valorizar um ingrediente nacional, os encontros. E essa chance vai ser oferecida de diferentes maneiras nas oficinas na cozinha, nas salas de aula e no auditório.

O que é que anima você na gastronomia? Peixes? Bella Masano, do Amadeus, e Cauê Tessuto, de A Peixaria, se reúnem na cozinha; Ivan Ralston, do Tuju, vai mostrar as qualidades do peixe bem pescado e bem preparado. Carne sustentável? Está na grade de programação. Lardo? Vai ser o tema do chef do Fasano, Luca Gozzani; dendê é coisa de Tereza Paim, do Casa de Tereza, de Salvador; Wanderson Medeiros, do Picuí, de Maceió, vai usar manteiga de garrafa. São só alguns exemplos dessa rara chance de extrair, em uma aula, lições extraídas de anos de prática.

Seu dia de enólogo

FOTO: JB Neto/Estadão

Quem gosta de vinho tem muitos motivos para ir ao evento. A grande atração deste ano será a produção de um tinto, o Quinta do Paladar 2014. O enólogo Lucindo Copat conduzirá um workshop no qual os participantes farão as mesclas dos vinhos. A amostra vencedora será engarrafada em safra única e enviada aos participantes da atividade. É sua chance de brincar de enólogo.

Outro grande momento será a prova Seleção Sul-Americana Sub-60: uma degustação dos melhores rótulos de Brasil, Chile, Argentina e Uruguai com preços de até R$ 60.

Também serão postos a prova vinhos brasileiros de garagem – produções minúsculas e artesanais de tintos e brancos que vêm despertando o interesse dos enófilos.

A Merlot, casta tinta que teve melhor adaptação ao terroir gaúcho, vai ser o tema de uma degustação vertical do Miolo Terroir.

E o vinho disputa com cervejas um duelo de harmonização. O tema serão embutidos e duas sommelières, uma de vinho e uma de cerveja, apresentam suas cartas.

Pão, pão, queijo, queijo

FOTO: Divulgação

Os pães estão em alta este ano. São, ao todo, cinco oficinas, depois das quais você vai saber fazer pães tradicionais de norte a sul do País, com diferentes bases de mandioca, no forno de casa com resultado profissional e pão selvagem. Não faltarão explicações técnicas de fermentação e sova. Nem oportunidades de colocar a mão na massa – e provar o pão quentinho, claro. As oficinas serão dadas numa sala-padaria profissional, equipada com bancadas próprias para bolear a massa e fornos adequados para formar cascas crocantes.

Queijos também têm presença forte na programação. O território nacional servirá como guia para dois grandes porta-vozes da cultura queijeira em São Paulo dividirem o tablado. Fernando Oliveira, d’A Queijaria, e Bruno Cabral, da Mestre Queijeiro, promovem uma degustação de grandes queijos do mapa do Brasil.

FOTO: Alex Silva/Estadão

Depois da teoria, a prática: na cozinha, com Oliveira e produtores convidados, o público vai aprender a fazer queijo em casa. E tem aula também para quem quer aprender a afinar o queijo, ou seja, maturá-lo até o tempo certo para consumir.

A fermentação, que une a produção de queijos, pães, vinhos e cervejas, é tema de um ciclo de estudos em que especialistas em cada um desses produtos investiga a fundo o processo: Carolina Oda, sommelière de cerveja, Bruno Cabral, da Mestre Queijeiro, Flávia Maculan, padeira artesanal, e Gabriela Monteleone, sommelière de vinhos, aprofundam as discussões sobre o tema fermentação, que anda em alta, e comparam experiências. Você não pode perder.

Cerveja

FOTO: Fernando Sciarra/Estadão

A bebida mais democrática de todas será a estrela de uma programação também democrática, que dá conta de matar a sede de quem fica perdido diante do aumento da oferta sem deixar de lado quem tira de letra nomes de estilos e escolas cervejeiras. Ao longo do fim de semana, a cerveja protagoniza seis eventos, entre aula, palestra e oficina, sempre com uma garrafa aberta para molhar as palavras.

Grandes cervejeiros, responsáveis por algumas das melhores e mais queridas cervejas brasileiras, conduzem aulas e degustações. Alexandre Bazzo, da Bamberg, dá as ferramentas básicas para o bebedor aprender a navegar pelos mares de cerveja na oficina Tudo o que Você Precisa Aprender para Começar a Gostar de Cerveja. Os irmãos Pedras Carneiro – Zé Felipe e Tiago – falam sobre a experiência de fazer cerveja de escola belga em solo mineiro. E a dupla André Cancegliero, da Urbana, e David Michelsohn, da Júpiter, desenha o cenário cervejeiro atual e o que vem por aí.

A dupla também comanda, na cozinha, na companhia de Victor Pereira Marinho, cervejeiro responsável pela produção da Urbana, da Júpiter e da Cafuza, uma aula de como fazer cerveja em casa.

Paulo Leite, do Empório Sagarana, um dos bares mais queridos por quem aprecia a boa cerveja e a boa cachaça, junta as duas em uma prova de harmonização de bebida com bebida. E, disfarçado como oficina de charcutaria artesanal, o sommelier de cerveja e maître-charcutier Rene Aduan mostra como se faz bacon – mas não deixa ninguém passar sede.

Oito anos atrás

A semente do Paladar – Cozinha do Brasil foi plantada em 2006, quando os chefs Alex Atala, Mara Salles e Edinho Engel se uniram para pesquisar ingredientes brasileiros na cozinha da Anhembi Morumbi. Esta edição marca a volta à cozinha, mas desta vez aberta ao público, que divide o fogão com os maiores chefs do País.

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 14/8/2014

Ficou com água na boca?