Paladar

Comida

Comida

'Paladar' promove debate sobre produtos artesanais

Queijos, embutidos, méis e outros produtos artesanais querem sair da ilegalidade. Para discutir como fazer isso, o 'Paladar' convida a todos para um debate no dia 10; ingressos estão esgotados

01 novembro 2017 | 19:37 por Redação Paladar

Os produtores artesanais querem sair da ilegalidade e o Paladar está empenhado em defender esta causa. Não é novidade, já dedicamos várias capas ao assunto, já promovemos debates entre chefs e a Anvisa e não perdemos a oportunidade de voltar ao assunto sempre que necessário. Temos feito nossa parte e não porque gostamos de polêmica, mas porque gostamos de comer os queijos artesanais brasileiros, feitos ou não com leite cru, embutidos, méis nativos, entre outros produtos artesanais de nossa tradição culinária. E defendemos o direito de todos os brasileiros poderem ter acesso a esses produtos.

Queremos que eles sejam seguros ao consumo, elaborados de acordo com as normas sanitárias adequadas, porém para isso, os pequenos produtores precisam ter a possibilidade de se enquadrar na lei, o que atualmente não é possível. É preciso ter uma legislação específica para produtos artesanais de origem animal, com regras claras e exequíveis, e fiscalização adequada. Como fazer isso? Pois é justamente essa pergunta que estimulou a organização de um debate aqui no auditório do Estadão, na sexta-feira, dia 10 de novembro

 

  Foto: Daniel Teixeira|Estadão

Os debatedores

Vamos reunir produtores de queijos e embutidos, responsáveis pela fiscalização no Ministério da Agricultura e Pecuária representantes da Anvisa, integrantes de ONGs, comerciantes de queijos, além de chefs.

Com a mediação da editora do Paladar, Patrícia Ferraz, o evento terá a participação do Secretário de Estado de Agricultura do Espírito Santo, Otaciano Neto, que é presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Agricultura (Conseagri); e do Secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Arnaldo Jardim; Também estão confirmados o Secretário de Defesa Agropecuária do Ministério de Agricultura e Pecuária (Mapa), Luiz Rangel; Laila Mouawad da área de fiscalização da Anvisa, e Andrea Boanova, agente de fiscalização da Covisa; Ricardo Boscaro, do Sebrae de MG; o deputado federal José Silva, autor de projeto sobre o tema; o chef Jefferson Rueda, da Casa do Porco, produtor de embutidos; o chef Bruno Alves, da banca de embutidos do Mercado de Pinheiros Dëlika; a presidente da ONG SertãoBras e blogueira do Paladar, Débora Pereira; os queijeiros mineiros Oswaldo Filho e João Leite; o colunista do Paladar Roberto Smeraldi; o comerciante de queijos Fernando Oliveira da loja A Queijaria; e o ecólogo e mestre em gerenciamento ambiental Jerônimo Villas-Bôas, especialista em mel.

+ Apreensões de produtos artesanais no Rio reacendem polêmica sobre legislação

+ Nem artesanal, nem industrial, o queijo ‘tendência’ agora é o natural

Na plateia estarão alguns convidados entre chefs, integrantes de ONG entre outros como o queijeiro francês Hervé Mons, de Auvergne, que curou queijos do Serro na França para trazer ao evento – produtores também devem trazer queijos e embutidos para montar uma mesa no fim do evento.

Serviço

Debate "Artesanais querem sair da ilegalidade"

Onde: Auditório Estadão - Av. Professor Celestino Bourroul, 100, Limão

Quando: 10 de novembro, das 14h30 às 17h40

Ingressos esgotados

Ficou com água na boca?