Saiba a diferença entre os tipos de limão mais comuns nos mercados

Tahiti, siciliano, galego, cravo, yuzu e caviar: conheça as características de diversos limões

Renata Helena Rodrigues - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Especial para o Estado

Sabe aquele fruto verdinho que você chama de limão? Pois não é limão, é lima ácida. Limão, na classificação da botânica, é o siciliano, de casca amarela.

Reunimos alguns dos "limões" mais comus no mercado e, junto deles, um frutinho cítrico que tem preço de iguaria, mas vem ganhando espaço na cozinha dos chefs por sua textura e acidez peculiares: o limão-caviar. 

 

Limão-siciliano

Originário do Sul da Itália, tem casca amarela grossa e levemente rugosa e extremidades proeminentes. É menos ácido, mais perfumado e suculento que tahiti e cravo. Na hora de escolher, prefira frutos de casca macia e brilhante. Os maduros têm mais suco - se apertar a casca com o dedo, ela cede um pouco. 

É um ingredinte curinga para ter sempre na cozinha. Com creme de leite fresco e manteiga, rende um belo prato de massa, o espaguete al limone, que fica pronto em minutos. Seu sucos e raspas transformam um risoto simples em um prato básico super interessante, aposta certa para os iniciantes da cozinha. Pode virar picles, um bom tempero para se ter na geladeira, e licor - o famoso limoncello. Além de acompanhar bem peixes e ser figurinha batida em diversos drinques, rende sobremesas para quem não gosta de doces muito doces, como lemon curd e essa torta ácida

 

Limão-tahiti

O mais comum no mercado e o mais ácido (na classificação botânica, nem é limão, é lima ácida). Tem casca verde (mas se amadurecer fica amarela também) e não tem sementes.

É o limão usado na caipirinha

 

Limão-cravo

É uma variedade rústica, de baixa acidez, casca e polpa alaranjadas. Ganha muitos nomes Brasil afora: rosa, lava-tacho, china, caipira, cavalo e até galego.

Quer uma dica de receita? Marshmallow de limão-cravo.

 

Limão-galego

Em São Paulo, o nome é usado para uma lima ácida de casca amarelada e tamanho menor. Antes era muito comum no mercado, que depois foi dominado pelo limão-tahiti.

 

Yuzu

Fala-se yuzú. Apesar da origem chinesa, ficou famoso na culinária japonesa. Tem pouco suco e sua parte mais usada é a casca, muito aromática.

 

Limão-caviar

Esse não é muito popular. Pequenino e alongado, é nativo da Austrália, mas vem ganhando também produtores brasileiros. O limão-caviar atraiu a atenção dos chefs por uma razão bem peculiar: seu interior é repleto de pequenos gomos arredondados, que explodem na boca. Se essas pequenas esferas lembrar caviar, o preço do ingrediente também (o quilo custa mais de R$ 1.000).

 

Limão-caviar nos restaurantes de SP

1 | 4 Prato de Telma Shiraishi, do Aizomê: ostra com algas, capelin e limão-caviar Foto: Gabriela Biló/Estadão
2 | 4 Receita do chef Luiz Filipe Souza, do Evvai: mexilhão com caldo de vôngole e cúrcuma servido com limão-caviar Foto: Tadeu Brunelli
3 | 4 No Tessen, Thiago Maeda finaliza prato com robalo e vieira com os gominhos de limão-caviar Foto: Werther Santana/Estadão
4 | 4 Toro e vieira são sobrepostos por gominhos de limão-caviar na receita do chef Thiago Maeda, do Tessen Foto: Werther Santana/Estadão

 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato