Paladar

Comida

Comida

São Paulo ganha curso superior para garçom e bartender

Faculdade das Américas lança o primeiro curso superior tecnólogo de formação para profissionais do salão e do bar; conselho reúne nomes de peso

17 outubro 2018 | 19:29 por Ana Paula Boni

Estão abertas as inscrições para o que pode ser considerado o primeiro curso superior de formação de garçom e bartender em São Paulo, que tem início em 2019 na Faculdade das Américas (FAM). 

Além do ineditismo do curso tecnólogo (com duração de dois anos, como os cursos de gastronomia), a nova grade merece destaque por contar com um conselho consultivo do mercado, com nomes como os chefs Rodrigo Oliveira, Jefferson Rueda e Marcelo Corrêa Bastos, os empresários Rogerio Fasano, Juscelino Pereira e Ricardo Trevisani, e ainda gente de salão e bar como Fabio La Pietra, Zulu e Gabriela Monteleone.

A ideia e a tarefa de convencer pesos-pesados de São Paulo a participar foi de Rodrigo Oliveira, que há cinco anos vem instigando seus pares e provocando universidades a criar uma formação voltada para o salão. Coordenador do curso de gastronomia da FAM, o professor e cozinheiro Marcelo Malta abraçou a causa e ajudou a criar o Curso Superior de Tecnologia em Serviços de Sala e Bar.

Clientes em restaurante rodeados por garçons, que agora têm curso de formação superior em São Paulo

Clientes em restaurante rodeados por garçons, que agora têm curso de formação superior em São Paulo Foto: Tiago Queiroz|Estadão

O curso terá disciplinas práticas como mixologia, estudo dos vinhos, soft drinques (água, café e chá), além de técnicas de serviços de bar e de sala, e técnicas e práticas de cozinha, para o aluno entender sobre o que vai falar ao cliente. 

“O garçom é muito importante. Se a cozinha não faz um trabalho tão legal e o salão faz um serviço maravilhoso, o cliente volta”, diz Malta.

Uma das disciplinas será “conversa com o mercado do bar e da cozinha”, a ser coordenada pela historiadora da alimentação Adriana Salay e que agregará nomes do mercado que não poderiam ser docentes por falta de titulação - mas que têm muita experiência para passar, inclusive nomes do conselho consultivo.

O conselho, por sua vez, deverá se reunir todo semestre e servirá para orientar diretrizes do curso e estimular o mercado (e seus próprios funcionários) a fazer a formação profissional.

SERVIÇO

Inscrições no site da FAM

 

Ficou com água na boca?