Paladar

Comida

Comida

Você não vê, mas o umami está lá

Por Paula Moura

12 março 2014 | 22:34 por redacaopaladar

Você pode não vê-lo, mas o umami do kombu estará lá para satisfazer o paladar. Cultivada principalmente na Ásia, a alga da espécie Laminaria japonica é o ingrediente principal do dashi, caldo base da gastronomia nipônica. “A base do sabor japonês, que é a busca do umami, vem do kombu”, diz Telma Shiraishi, chef do restaurante Aizomê.

O kombu é tão apreciado no Japão que, quando alguém oferece um prato feito com kombu, é como se estivesse desejando alegria para a pessoa, pela proximidade sonora com a palavra “yorokobu”, felicidade.

Uma variedade de kombu mais macia é servida em forma de laços especialmente em ocasiões comemorativas como ano-novo e casamentos.

Kombu. FOTO: Evelson de Freitas/Estadão

No Brasil, bons restaurantes utilizam o kombu conhecido por hidaka para fazer o dashi. É seco, escuro, resistente e vem com pó branco, cujo excesso precisa ser retirado.

Normalmente, o dashi é feito com kombu e raspas de bonito seco. Porém, existe o caldo feito apenas com kombu ou, outra versão vegetariana, com kombu e shiitake. O melhor dashi é o primeiro, mas pode ser usado pela segunda vez para um missoshiro do dia a dia, por exemplo. “A grossura da alga, quanto produz de caldo e quantidade de proteína são critérios para escolher um bom kombu”, ensina Tsuyoshi Murakami, chef do Kinoshita.

LEIA MAIS: 

+ As algas vão rolar 

Em alguns restaurantes, o arroz do sushi ganha um toque a mais de umami colocando-se kombu no tempero, com vinagre, sal e açúcar. Também pode-se colocar o peixe entre algas kombu por algumas horas para acrescentar sabor.

É comum comer kombu em conserva com arroz. O produto pode ser encontrado em lojas de alimentos orientais em tiras pequenas.

Pratos típicos de Okinawa também usam muito a alga. O cozido de legumes e bardana chamado de iriticha e o kobu iriti (escreve assim mesmo, pois é dialeto local), refogado de kombu com carne de porco fazem parte dos pratos caseiros das famílias okinawanas.

O chá de kombu também é apreciado por seu sabor ligeiramente salgado.

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 13/3/2014

Ficou com água na boca?