Helena Rizzo e Bel Coelho criam pratos para evento sobre milho Guarani

O 'OPY Avaxi' será realizado na próxima quinta-feira, 10, e reúne lideranças indígenas para refletir sobre a produção artística contemporânea e as práticas culturais indígenas

09 de fevereiro de 2022 | 09:58 por Maria Isabel Miqueletto, O Estado de S.Paulo

As chefs Bel Coelho e Helena Rizzo em visita à aldeia

As chefs Bel Coelho e Helena Rizzo em visita à aldeia Foto: Centro de Trabalho Indigenista

O milho Guarani será a estrela do evento 'OPY Avaxi', que reunirá lideranças indígenas com o intuito de refletir acerca da produção artística contemporânea e das práticas culturais indígenas. A programação, que antecede as comemorações da Semana de 22, conta com lançamento de livro, exibição de filme e degustação de pratos inspirados no milho guarani criados pelas chefs Helena Rizzo e Bel Coelho. O evento será realizado na próxima quinta-feira, 10, na Casa do Povo.

A iniciativa traz o milho Guarani como elemento central das práticas culturais do povo Guarani Mbya. E não apenas a diversidade do ingrediente, que tem mais de 30 variedades, mas, também, o ato de comer, que se relaciona ao plantio, à colheita e ao nhandereko, o modo de viver Guarani. O milho é colocado como um arquivo da cultura do povo Guarani Mbya.

Foi esse conhecimento – a partir de uma visita de Helena e Bel à aldeia Kalipety no ano passado – e os ingredientes cultivados por lá que inspiraram as chefs em suas criações para o encontro. Helena fará um vinagrete com milho tostado, abóbora e feijão, temperado com limão, pimentas picantes e coentro. Como prato principal, uma canjica de milho crioulo com queijo Tulha, galinhada e PANCs, como taioba, serralha, capuchinha e vinagreira. "Vai ser uma tentativa de unir um jeito de fazer nosso, lá no Maní , com a cozinha caipira que tanto absorveu da cultura indígena", conta a chef.

Os pratos foram inspirados e criados com ingredientes cultivados na aldeia Kalipety

Os pratos foram inspirados e criados com ingredientes cultivados na aldeia Kalipety Foto: Centro de Trabalho Indigenista

Já Bel fará cuscuz de milho com ovo, espuma de coalhada e chips de batata doce. Na sobremesa, a base é a mandioca – um tartare de abacaxi com tapioca, coco brulée e baba de moça. "Me deixou feliz ver que eles estão plantando, que estão no processo de resgate da terra, do plantio, das receitas e dos saberes. Foi muito inspirador ver isso acontecendo", conta.

Na última década, o movimento de fortalecimento do plantio de sementes tradicionais do milho vêm sendo promovido na Terra Indígena Tenondé Porã, no Sul de São Paulo. Para Rizzo, isso é importante para que a herança indígena na alimentação brasileira pare de ser associada unicamente à mandioca. "É triste ver que um ingrediente tão importante para a nossa formação alimentar [o milho] tenha, ao longo do tempo, desaparecido do campo e da nossa dieta", reflete.

O evento é uma realização da Casa do Povo, da Pinacoteca de São Paulo, do Centro de Trabalho Indigenista, da Comissão Guarani Yvyrupa e das comunidades das Terras Indígenas Tenondé Porã e Jaraguá.

Serviço:

OPY Avaxi

10 de fevereiro, quinta-feira, das 18h30 às 21h

Casa do Povo – Rua Três Rios, 252 - Bom Retiro.

 

Uso de máscara obrigatório.

Capacidade de público limitada.

Entrada gratuita.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?