Paladar

Receitas

Receitas

Arubé à moda de Lábrea

Feito de mandioca e pimentas, condimento é usado como tempero de mesa no norte do Brasil

por Neide Rigo

Feito de mandioca e pimentas, o arubé é um tempero de mesa típico amazônico, companhia indispensável para peixes fritos e assados - mas dá também para usar como condimento no preparo de cozidos.

A receita varia nos diferentes cantos da Amazônia. Confira a seguir uma das versões à moda de Lábrea, cidade localizada no sul do estado do Amazonas.

Molho brasileiro de pimentas e mandioca é típico da região Amazônica. 

Molho brasileiro de pimentas e mandioca é típico da região Amazônica.  Foto: Neide Rigo

 

Preparo

1Faça em local aberto para evitar o vapor irritante das pimentas.
2Coloque as mandiocas, que devem estar bem amolecidas, sem os pavios, sobre uma peneira apoiada em uma tigela. Reserve. Lave bem as pimentas, tire os cabinhos, coloque numa panela com a água (e o alho, se for usar) e leve ao fogo até que amoleçam (cerca de 3 minutos). Bata aos poucos no liquidificador.
3Despeje o líquido (enquanto o líquido ainda está bem quente. Se for preciso, volte ao fogo até ferver) aos poucos sobre a mandioca, banhando toda ela, amassando bem com uma colher conforme vai escaldando.
4Espere esfriar, misture bem e coloque garrafas PET pequenas, deixando espaço de 3 centímetros até a tampa.
5Aperte a garrafa até o líquido chegar na boca e feche bem. Deixe em temperatura ambiente e quando a garrafa estiver dura, estofada, desrosqueie devagar e deixe escapar o gás. Aperte de novo a garrafa e feche bem. Repita o procedimento por 3 a 4 dias ou até não formar mais gás. Se formar uma natinha branca por cima enquanto fermenta, não tem problema - basta chacoalhar para homogeneizar.
6Misture bem passe para vidros limpos (ferva e deixe secar ao forno ou ao sol para maior garantia). Feche e use como molho de mesa ou como tempero para pratos cozidos.
7Mantenha em temperatura ambiente, em local fresco, por prazo indeterminado. Ou guarde na geladeira pra ter certeza de que vai durar para sempre.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?