Paladar

Receitas

Receitas

Thiago Queiroz|Estadão
Thiago Queiroz|Estadão

Bolo de arroz

Aprenda a fazer esse bolo tradicional da região Centro-Oeste com a receita de Heloísa Bacellar

por Redação Paladar

Essa receita que nasceu da abundância do arroz da região foi popularizada por tradição oral e declarada como prato típico do Estado do Mato Grosso em 2015. Assado em miniformas, ele é um dos mais trabalhosos do repertório popular, pois o arroz é pilado para formar a farinha. 

1Umas 30 horas antes do momento de servir os bolinhos, coloque o arroz cru e lavado numa tigela média, cubra com água ultrapassando os grãos nuns 5 cm, cubra com um pano limpo e deixe descansar fora da geladeira por umas 24 horas. 
2Ao final do repouso, escorra e descarte a água do molho do arroz. Coloque o arroz ainda úmido num processador que tenha motor potente (se for um mini, bata aos poucos). O processo é lento e um tanto trabalhoso, mas funciona: bata um tanto, passe por uma peneira e reserve o fubá de arroz que cair, bata de novo o que não passar pela peneira e repita o processo mais umas 3 ou 4 vezes, até conseguir umas 3 xícaras (chá) de fubá de arroz e sobrar no máximo 1/3 de xícara (chá) de um farelo mais grosso. Mantenha o fubá numa tigela média e prepare a massa do bolo.
3Numa panela pequena, aqueça a mandioca e a água e, mexendo de vez em quando, cozinhe por uns 10 minutos, até que a mandioca fique quase transparente e tudo se transforme num mingau grosso. Retire do fogo, junte o coco, a canela, a manteiga, o sal e o açúcar e deixe amornar por uns 5 minutos. Junte o creme morno ao fubá de arroz, cubra com filme de deixe a massa repousar fora da geladeira por 6 a 8 horas. 
4Aqueça o forno a 180ºC (médio). Unte com manteiga 24 forminhas grandes para empada e espalhe numa assadeira. Misture o fermento à massa e, em seguida, despeje a massa nas forminhas sem encher (deixe uma borda livre de 0,5 cm). 
5Asse os bolinhos por uns 15 minutos, até que estejam levemente dourados e crescidos. Retire do forno, desenforme e sirva os bolinhos ainda quentes, ou mornos ou em temperatura ambiente (ficam melhores no dia em que preparados). 

 

Ficou com água na boca?