Paladar

Receitas

Receitas

Daniel Teixeira|Estadão
Daniel Teixeira|Estadão

Prato do Dia

Patrícia Ferraz

Picles nórdico

Aprenda a receita publicada no livro "Salgado, Doce, Defumado" de Diana Henry

por Patrícia Ferraz

Ele surgiu como um método de conservação de legumes, frutas peixes e carnes – em vinagre ou na salmoura. To pickle, em inglês, quer dizer conservar. Gregos e romanos fazem picles de azeitona desde a Antiguidade, os russos usam o método para conservar beterraba e pepinos, japoneses preservam o nabo. Os americanos têm verdadeira mania de picles de pepino, que é também o mais popular por aqui e na França – chamado de cornichon, o picles de pepino mini, é o parceiro ideal para uma terrine de campanha.

Fazer picles é simples – além do líquido, que pode ser o vinagre ou a salmoura, é preciso escolher os temperos, que variam bastante. Esta receita está em Salgado, Doce, Defumado, de Diana Henry (Publifolha). É uma versão nórdica de picles, mais suave e menos ácida que a russa.

Preparo

1Coloque o vinagre, o limão, o açúcar, o sal, a pimenta numa panela e deixe ferver, mexendo um pouco para dissolver o açúcar. Deixe esfriar completamente.
2Esterilize o frasco: ponha bastante água para ferver numa panela, mergulhe o vidro e a tampa deixe ferver por alguns minutos. Com uma pinça grande, tire o pote da água e ponha de cabeça para baixo para escorrer numa grade.
3Coloque os pepinos em camadas enquanto o pote ainda estiver quente. Espalhe as folhas de dill por todas as camadas de pepino.
4Despeje a solução de vinagre, com o cuidado de deixar todas as fatias de pepino submersas.
5Feche o vidro e mantenha em local escuro e fresco. Consuma em dois meses – depois de aberto, mantenha o pote na geladeira.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?