Paladar

Receitas

Receita

Tiago Queiroz|Estadão
Tiago Queiroz|Estadão

Um drinque para cada seleção cabeça de chave da Copa 2018

Você pode escolher pelo time ou pela bebida base do coquetel – gim, cachaça, vodca ou vinho. E depois é só seguir as receitas feitas pelo bartender Laércio Zulu, inspiradas em times que disputam o Mundial da Rússia

13 junho 2018 | 19:20 por Carla Peralva

Bola no meio do campo, apito, vai! A Copa do Mundo da Rússia começa nesta quinta, 14, e no domingo já tem jogo do Brasil. Para engrossar a torcida, o Paladar pediu para o bartender Laércio Zulu, gestor de bares do Grupo São Bento, preparar um coquetel para cada seleção cabeça de chave deste Mundial – dois para o Brasil, porque, vai, estamos merecendo uma dose extra de incentivo. 

O artilheiro da rodada é o gim, bebida do momento, a escolhida por Zulu para a maioria dos drinques. Mas também há opções com cachaça, vodca e até vinho do Porto.

Inspirado pela Copa do Mundo, o bartender Laércio Zulu criou nove drinques inspirados nas principais seleções.

Inspirado pela Copa do Mundo, o bartender Laércio Zulu criou nove drinques inspirados nas principais seleções. Foto: Tiago Queiroz|Estadão

LEIA MAIS: 

Com a Copa da Rússia, vodca entra em alta temporada

+ A Copa do copo: confira a degustação de doze vodcas do mundo

A inspiração para as receitas vem de ingredientes e hábitos populares em cada país. Espumante rosé para a França, Malbec para a Argentina, cerveja para a Bélgica, Jägermeister para a Alemanha. De Portugal vem o Portônica, que está tomando Lisboa. Para o Brasil, um drinque com cachaça e rapadura e um gim tônica verde e amarelo. 

Prepare a bandeira e a coqueteleira. E boa Copa! 

 

1. Rússia: Mula russa

Bem cremoso e quase picante, é feito com gim, gengibre fresco e espuma e gengibre, em alusão aos dois moscow mules: o original (com ginger beer) e o brasileiro (com a espuma).  

Mula russa.

Mula russa. Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

2. Portugal: Portônica

O drinque que está tomando Lisboa, refrescante, leva vinho do Porto e água tônica. 

Portônica

Portônica Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

3. França: French 75

Esse drinque foi criado nos EUA (que nem na Copa está...), mas remete ao verão francês, com a leveza dos rosés de Provence e a refrescância de um bom gim tônica. 

French 75

French 75 Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

4. Argentina: Locos por el tónico

Um bom gim tônica com um toque de Malbec. Intenso, como nossos vizinhos. 

Gim tônica com Malbec.

Gim tônica com Malbec. Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

5. Brasil: Rapadurinha

Criação de Zulu, com cachaça envelhecida em amburana, rapadura, suco de limão, água com gás e Zulu Bitter, feito pelo bartender com especiarias brasileiras. Cremoso, doce, crítico e muito aromático. Para finalizar, caju em compota. 

Rapadurinha.

Rapadurinha. Foto: Tiago Quieroz|Estadão

 

RECEITAS: 

+ Mais drinques com cachaça

+ Mais drinques com vodca

+ Mais drinque com gim

 

6. Brasil: Brasileirinho

O Brasil é o país da cachaça. Mas uma gim tônica canarinho também vai bem, não? Essa leva polpa de maracujá e casca de limão taiti. Para fazer em jarra, para a galera. 

Brasileirinho.

Brasileirinho. Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

7. Alemanha: Tônico de caçador

Gim, água tônica e laranja-baía. E Jägermeister, o amaro alemão, por cima para dar cor e força. Um drinque à altura do último campeão do mundo.  

Tônico de caçador.

Tônico de caçador. Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

8. Bélgica: Ale tonic

A Bélgica brilha nas cervejas. Misture uma belgian Pale Ale com gim e mel e você terá um belo drinque. 

Alex tonic

Alex tonic Foto: Tiago Queiroz|Estadão

 

9. Polônia: Dark tonic

Um drinque para quem gosta de experimentar, feito com vodca negra, infusionada com tinta de lula. Para acompanhar e decorar, uma fatia de salmão gravlax e um twist de limão-siciliano. 

Dark tonic.

Dark tonic. Foto: Tiago Queiroz|Estadão