Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Atá nasce com sonhos ambiciosos

Por Cíntia Bertolino

17 abril 2013 | 23:07 por redacaopaladar

Especial para o Estado

O Instituto é o resultado do esforço conjunto do chef Alex Atala, do antropólogo Beto Ricardo, do Instituto Socioambiental (ISA), do ambientalista Roberto Smeraldi, da Oscip – Amigos da Terra e do jornalista Ilan Kow, diretor de produtos e projetos do Estado, entre outros.

Nasce com sonhos ambiciosos para melhorar a cadeia de ingredientes nativos como a pimenta produzida pelos índias baniwa no Rio Negro, a baunilha do Cerrado e o mel. No horizonte de atuação destacam-se a valorização da oleodiversidade brasileira (óleos de pequi, abacate, jaca e patauá) e a necessidade de entender os biomas com sua infinidade de ingredientes.

Segundo Atala, o Atá será um observatório de políticas públicas e privadas do alimento. “Não podemos esquecer que os recursos do mar, da floresta, do campo são esgotáveis. Não podemos esquecer que antes da panela há o homem que precisa de ajuda”, disse.

Além de remeter ao nome do chef, Atá é radical da palavra fogo no tronco de línguas Tupi. Em Baniwa, dá nome a uma cuia tradicional, usada para servir mingau. A apresentação acabou com o chef pedindo a colaboração de todos os presentes, lembrando que a relação homem-alimento, precisa de ajuda para continuar a existir.

Pimenta Baniwa Jiquitia, produzida por índias. FOTO: Felipe Rau/Estadão

>> Veja todas as notícias da edição do Paladar de 18/4/2013

Ficou com água na boca?