Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Benza é o mais novo restaurante do Baixo Pinheiros

Chef vencedor do 'Masterchef 2017', Pablo Oazen abre casa de comida brasileira autoral

06 de dezembro de 2019 | 17:35 por Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

Benza (como em "benzadeus"). É esse o nome do restaurante que o chef Pablo Oazen está abrindo no Baixo Pinheiros.

Pablo fechou o restaurante que tinha em Juiz de Fora, o Garagem Gastrobar, e se instalou no bairro em sobrado bem charmoso, com ladrilho hidráulico no chão, forno e fogão a lenha.

Restaurante Benza ocupa um simpático sobrado no Baixo Pinheiros. 

Restaurante Benza ocupa um simpático sobrado no Baixo Pinheiros.  Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Você pode ter curiosidade de ir lá porque o Pablo ganhou o Masterchef em 2017, mas ele é muito mais que isso (mesmo que o troféu esteja bem à vista, na cozinha do restaurante). Vá lá pela comida - e pela bela seleção de vinhos feita pelo sommelier Gustavo Abreu, que é um craque e se empenha em garimpar rótulos que você possivelmente vai provar ali pela primeira vez.

Não dispense o couvert. Vem com pão de fermentação natural, pão de queijo canastra, broa de milho portuguesa, biscoito de polvilho e uma tabuinha com crudités de mini-legumes, manteiga com torresmo, catupiry caseiro e gema mantecata (gema de ovo cozida em baixa temperatura com manteiga clarificada). 

Couvert do restaurante Benza, com legumes crus e pães da casa. 

Couvert do restaurante Benza, com legumes crus e pães da casa.  Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A seção com as entradas é chamada de Para se Divertir. E você vai, mesmo, se divertir com elas. Tem uma empadinha feita com a massa do pastel primavera, bem fininha, queijo fresco, ovo de codorna frito com gema mole, picles de cebola e ovas de medjol.  Delicadíssima (R$ 38, quatro unidades).

Talvez você tenha dificuldade de escolher entre o tempurá de abacate e a berinjela com botarga. O tempurá vem com minifatias de abacate envoltas em tempurá delicado e crocante, com maionese de sriracha por cima. Combina picância, crocância, cremosidade... uma delícia (R$ 24).  E a berinjela é defumada na lenha, servida com ovo caipira ralado, lascas de botarga e maionese Kewpie (R$ 29). Pensando bem, acho que esse foi o grande momento da entrada. Pelo menos foi o que anotei no meu caderninho.

Berinjela é defumada na lenha.

Berinjela é defumada na lenha. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Outra boa opção de entrada é o tostex de rabada, montado como o katsu sando, o sanduíche japonês. A rabada vem em molho de cerveja preta acompanhada de mini-agrião (R$ 32).

Já a seção dos pratos principais é levada a sério. Tem uma canjiquinha, servida como se fosse uma paella, em uma camada bem fininha, com polvo, tutano, aioli de tinta de lula e favas verdes salteadas com hortelã (R$ 90). 

A carne de porco alentejana (R$ 67) é cozida lentamente no sous-vide, quer dizer, embalada a vácuo e cozida em baixa temperatura. Vem com batata baroa e batata-doce, lambretas e uma tuille (aquela renda fininha, que parece um biscoito).

Porco alentejano com lambreta. 

Porco alentejano com lambreta.  Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Super delicado, o capellini de pupunha vem fonduta de queijo malacaxeta, calda de cebola assada com tucupi preto e gelatina de mel. Ainda vou voltar lá para provar o macarrão com pato, mineirice que descobri só no fim da refeição, promete...

Capellini de pupunha. 

Capellini de pupunha.  Foto: Daniel Teixeira/Estadão

A sobremesa é problema: tem duas imperdíveis. A mais famosa é a goiaba, que o chef fez no Masterchef: uma bola de sorbet de goiaba com um miolinho de goiabada, coberta por uma casquinha de chocolate branco (R$ 32). Prove. Mas não sei se é melhor que o café com leite e telha feita nas coxas (R$ 29). Vem em um prato fundo com espuma de doce de leite, sorvete de pão na chapa feito com manteiga noisette e calda de açúcar - para completar, o garçom joga um pouquinho de leite quente…

Goiaba, a sobremesa.

Goiaba, a sobremesa. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Café com leite e telha feita nas coxas

Café com leite e telha feita nas coxas Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Por enquanto, o Benza abre só para o jantar. Mas a partir de janeiro, vai funcionar também no almoço, com outro cardápio. Ah! E tem boa carta de drinques autorais.

 

Benza

R. Costa Carvalho, 72, Baixo Pinheiros 

Horário de funcionamento: 19h/23h30 (sá., 19h/0h; dom., 12h/16h30; fecha 2ª)

Tel.: 3032-7759

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?