Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Buenos Aires: uma seleção de restaurantes novos e antigos que valem a visita

Comer e beber bem faz parte do programa na cidade que está em grande fase gastronômica apesar da crise no país

26 de junho de 2019 | 21:10 por Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

A capital argentina está em ótima fase gastronômica, apesar da crise econômica no país – vai sediar o 50 Best América Latina, em outubro, e há fortes rumores de que o guia Michelin vai desembarcar por lá em breve.

E não por acaso. Entre clássicos que só poderiam existir ali, como a parrilla Don Julio, e novidades como Niño Gordo, que cabe em qualquer lugar do mundo, comer e beber bem faz parte do programa na cidade. Abaixo, veja os lugares que você precisa conhecer:

● Obrigatório

Don Julio

Quando você chega a Buenos Aires, quer carne e vinho, certo? Então, vá direto para a Parrila Don Julio. Ela tem tudo o que se espera de uma parrilla e otras cositas más. Vai ter fila. Mas a espera é amenizada por taças de espumante e mini-empanadas como cortesia. Das parrillas, logo na entrada do salão, saem todos os cortes argentinos.

As carnes vêm ao ponto, a menos que você peça diferente (mas não peça, não, deixa os caras fazerem seu melhor). Na sobremesa, vá de crepe de doce de leite, grelhado. A adega é espetacular e só tem vinhos argentinos: são 14 mil garrafas guardadas numa cave no subsolo. Não é um lugar barato, mas o gasto médio é de R$ 80 a R$ 100 por pessoa, incluindo vinho (dependendo do rótulo, claro). É o 34º no 50 Best 2019.

Serviço

Guatemala 4699. Palermo Viejo.  

parrilladonjulio.com.

Ambiente do restaurante Don Julio

Ambiente do restaurante Don Julio Foto: Don Julio

 

● Pop

Niño Gordo

O Niño Gordo é a sensação atual em Buenos Aires. Um lugar divertido, cheio de humor – dos bonecos de personagens orientais de animês que decoram o balcão, à luz vermelha do salão principal, passando pelas modernas figuras tatuadas e de bonés montando pratos em ritmo frenético. A comida lembra a de izakayas, mas não se inspira só no Japão, passa pela Coreia, Tailândia, China e, pela Argentina, é claro.

Pratos e porções são surpreendentes como tataki de chorizo com emulsão de wasabi, arroz, ovo curado; ou katsu sando de bife de chorizo, com redução de cebola, alho e gengibre. Tem mollejas com milho, acelga e chili; ojo de bife com gengibre, maçã, alga (para enrolar em folhas de acelga e comer!). Ah, tem ainda lagostins com alho, gengibre servido com pancetta glaceada e purê de coco com couve. Na sobremesa, o flan de missô é imperdível.

Serviço

Thames 181, Palermo Soho.

 Tataki de chorizo do restaurante Niño Gordo

 Tataki de chorizo do restaurante Niño Gordo Foto: Niño Gordo

 

● Sanduba

Chori

O choripán – pão com linguiça – é o sanduba mais popular na Argentina inteira, rústico e basicão. E não é que alguém teve a ideia de investir nos detalhes desse clássico? Pão artesanal, linguiça feita na casa, molhos criativos, boa vizinhança. Você tem que provar.

Serviço

Thames 1653. Palermo.

Hambúrguer do restaurante Chori

Hambúrguer do restaurante Chori Foto: Chori

 

● Das antigas

El Obrero

É um bodegón antigo e cultuadíssimo, na Boca. Muitas celebridades já passaram por lá. Pouca coisa mudou no salão inaugurado em 1952 decorado com fotos, flâmulas e camisas de futebol. O cardápio também é das antigas: muitos pratos, comida farta e barata. Nada é maravilhoso, mas a comida no geral é boa.

Comece pela tortilla de batatas, bem feita. Outra especialidade é a berinjela a escabeche. Também tem matambrito e a dupla obrigatória na capital portenha: milanesa e fritas. Tem massas recheadas – mas essas você não precisa pedir. Lugar simples, mas bem divertido.

Serviço

Agustín R. Caffarena 64, Boca. 

Fritas à lo pobre

Fritas à lo pobre Foto: El Obrero

 

● Conceitual

Tegui

Moderno, conceitual e autoral, a casa de Germán Martitegui é a 11º do ranking dos 50 melhores restaurantes da América Latina. Só tem menu-degustação, com dez pratos à base de produtos argentinos, instigantes, mas nem sempre fáceis.

Serviço

Costa Rica 5852, Palermo.

 www.tegui.com.ar.

 

● Top

Chila

Logo na entrada, uma vitrine moderna e baixinha dá uma pista do que você vai encontrar no Chila: produtos argentinos de terroir. Mas esqueça a ideia de cozinha típica, caricata. O Chila é o 19º no ranking dos 50 melhores restaurantes da América Latina. Cozinha autoral, contemporânea, servida como menu-degustação. A refeição começa com snacks, que incluem alfajor de morcilla, kombucha de mate, torta de milho e lagostins, entre outras criações.

As carnes são maturadas na casa por 40 dias e surgem em pratos de sabores complexos – elas são precedidas por uma bandeja de facas artesanais forjadas na Argentina. Você escolhe a sua faca. O melhor da degustação? Achei que fossem as lentilhas com kimchi, mas aí veio a corvina com leite de avelã, tostado de castanha, caracol marinho e azeite de salsinha...

Serviço

Av. Alicia Moreau de Justo 1160, Puerto Madero. 

www.chilarestaurant.com.

Trout tartine

Trout tartine Foto: Chila

 

● Vibrante

Narda Comedor

Vá ao restaurante da celebridade televisiva Narda Lopes mas não espere nada típico. O Narda Comedor poderia estar em qualquer cidade. É comida natural e saudável, mas de produto, vibrante e cheia de ousadia na combinação de sabores. Tem pão artesanal e muitos pratos para compartilhar. Um bom exemplo? Tempurá de berinjela, iogurte picante, ketchup caseiro e amendoim. Ainda por cima é barato. O menu executivo no almoço custa cerca de R$ 45 (450 pesos).

Serviço

Mariscal Antonio José de Sucre 664, Belgrano.

www.nardacomedor.com.

Ambiente do restaurante

Ambiente do restaurante Foto: Narda Comedor

 

● Nada Secreto

Nuestro Secreto

Atravesse o saguão do Four Seasons, vá para o jardim nos fundos do hotel. É ali que fica o nuestro secreto (nosso segredo), com parede e tetos de vidro e uma ampla parrilla de onde saem os pratos – da empanada à provoleta de cabra tostadinha, passando por todas as carnes.

Serviço

Calle Posadas 1086. Recoleta.

Parrilla do Nuestro Secreto

Parrilla do Nuestro Secreto Foto: Nuestro Secreto

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?