Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Comida russa em São Petersburgo: caviar, vodca, picles e dill

A comida russa é uma mistura de pratos camponeses, peixes, um toque de cremes franceses, influências ucranianas e georgianas e dill, muito dill

25 dezembro 2013 | 17:34 por Táki Cordás*

Especial para o Estado

Quem desce do confortável trem que chega a São Petersburgo vindo de Moscou pensa ter cruzado a fronteira de algum outro país. Se Moscou é uma mulher obreira, ainda que uma bela mulher, ela vive entre mastodônticos edifícios estalinistas e funcionalistas. São Petersburgo, por contraste, é uma cocote imperial que se vê bela e se enfeita cada vez mais.

Ao visitar a cidade, oriente-se sempre pela avenida Nevsky Prospekt. Ao longo de seus 4,5 km estão a maior parte dos pontos turísticos e os principais restaurantes. Não há dificuldade de encontrar restaurantes internacionais, com comida francesa, italiana, mediterrânea, chinesa, pubs ingleses, cafés e muitos japoneses – sushis e sashimis são fetiche para os russos.

Por falta de tempo, não visitei restaurantes com culinária das antigas repúblicas soviéticas, independentes desde 1991. O Primorsky, na Bogatyrskiy Prospect, serve cozinha ucraniana e, dizem, um dos melhores borscht (sopa de beterraba) da cidade. Tem ainda o Baku, com comida do Azerbaijão.

A comida russa é, em geral, uma mistura de pratos camponeses, peixes, um toque de cremes franceses, influências ucranianas e georgianas e dill, uma razoável porção de dill, com mais um pouco de dill, em quase tudo. Há pouco mais de um ano, a New Yorker publicou um artigo sobre o pesquisador Maksim Syrnikov, que diz que os russos não têm sua rústica gastronomia em alta conta desde o tempo em que a aristocracia falava francês e desprezava a comida “dos camponeses”.

Os restaurantes sugeridos a seguir não são exatamente baratos e é recomendável fazer reserva. Mas valem a pena.

FOTOS: Divulgação

FISH HOUSE

Lugar informal, com aquários no bar e uma cantora entoando clássicos do jazz, oferece seleção de peixes, do mar e lagos e rios de toda a Rússia. tem peixe branco do lago Ladoga, lúcio (do Ártico), lucioperca, esturjão, sirulo (dos Urais), rutilo da Sibéria, trutas, salmão branco e pregado do Mar Negro. Não tenha dó do bolso e peça a degustação de caviar – Beluga, sevruga – e ovas. Para beber, vodca ou a cerveja russa Baltika.

Fish House. 4 Pereulok Grivtsova, São Petersburgo, tel 7 812 448 227

 

TSAR

O restaurante elegante nos detalhes (e caro) serve comida russa tradicional. Experimente as saladas com arenque do mar Báltico, como a herring vinegret ou a pod shuboy. O cardápio tem uma seção de picles – de pepino, couve-flor, brócolis, beterraba, chucrute com cranberries e cogumelos. Os picles são uma das especialidades russas, certamente uma forma tradicional de preservar alimentos no rigoroso inverno local. Entre as sopas, destaque para a deliciosa e quente borscht, acompanhado de smetana (creme azedo). Trata-se de um bom lugar para comer um ótimo estrogonofe de vitela. Essa, como outras casas da cidade, oferece um cartão-postal do restaurante para você mandar um “olá” para um amigo e diz que se encarrega de postá-lo. A pessoa para quem eu mandei, nunca recebeu.

Tsar. Ul. Sadovaya 12, São Petersburgo, tel. 7 812 930 0444

 

MANSARDA

Paredes de vidro, cortinas feitas de talheres e cardápio em inglês no iPad compõem o ambiente da casa que serve pratos russos, na maioria com uma leveza moderna, além de sushis e sashimis. O selyodka pod shuboy, algo como “arenque debaixo de um casaco de pele’’, é uma salada de arenque defumado, folhas verdes e grapefruit. Não me arrependi de ter provado a okroshka, a principal sopa fria russa.

Mansarda. Pochtamtskaya Ul. 3, São Petersburgo, tel. 7 812 946 4303

 

*Táki Cordás é psiquiatra e gourmet 

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 26/12/2013

Ficou com água na boca?