Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Com drinques vibrantes e cozinha criativa, Balcão do Remanso é boa pedida em Belém

Mais uma inauguração dos irmãos Castanho, é um bar de coquetelaria internacional que, pelo repertório de ingredientes nos comes e bebes, só poderia mesmo estar em Belém

05 julho 2017 | 19:47 por Carla Peralva

De Belém, Pará 

Para beber, drinque com jambu (que treme, treme), cupuaçu, licor de castanha. Para comer, bao de açaí com peixe empanado na farinha d’água, bruschettas de beiju com queijo do Marajó, guioza de carne com jambu, tucupi e melaço, pork buns de tapioca. O Balcão do Remanso foi pensado para ser um bar “que poderia estar em qualquer cidade do mundo”. Mas a verdade é que, com esse repertório, só poderia é estar em Belém mesmo. 

Aberto no começo de abril pelos irmãos Thiago e Felipe Castanho dentro do restaurante Remanso do Bosque (44º no 50 Best América Latina), é um bar de ambiente descontraído e comida criativa, que mistura influências (especialmente da cozinha asiática) e faz bom uso de ingredientes regionais em receitas tentadoras. 

Balcão. Bar usou área antes pouco movimentada do restaurante; ambiente foi reformulado pela arquiteta Lana Miranda.

Balcão. Bar usou área antes pouco movimentada do restaurante; ambiente foi reformulado pela arquiteta Lana Miranda. Foto: Felipe Castanho|Divulgação

A carta de drinques, criada por Kennedy Nascimento, reúne clássicos revistados – como o Selvagem Spritz (R$ 28), com negroni envelhecido, Aperol e espumante; e o Cupuaçu Daiquiri (R$ 26) – e coquetéis autorais. Entre eles vale provar o Chuva do Norte (R$ 29), com rum, ginger ale artesanal e espuma de gengibre; o Tiki do Remanso (R$ 27), com cachaça, rum, licor de castanha e casca de cacau; e o Tacacachaça (R$ 25), com bourbon, cachaça de jambu, maracujá e limão, que faz os lábios tremelicarem. 

Thiago conta que o bar nasceu da vontade tornar o restaurante um lugar mais informal, mais leve. O chef está testando novas receitas que deverão entrar no cradápio em breve. Entre elas, há um niguiri de mapará, peixe amazônico com textura semelhante à da enguia. E tacos de farinha de mandioca recheados com as carnes e embutidos tipicamente usados na maniçoba. 

O que trazer 

Uma das grandes atrações de Belém é o Ver-o-Peso. É difícil sair do mercado sem lotar a mala – ou melhor, sem comprar um isopor e encher de frutas, castanhas, pimentas, farinhas... Não deixe de trazer: farinha d’água de Bragança, chocolate da Ilha do Combu, tucupi, cachaça de jambu e goma para fazer beijus de tapioca (bem diferente em sabor e textura dos consumidos no Sudeste). 

SERVIÇO 

Remanso do Bosque e Balcão do Remanso

Travessa Perebebui, 2.350, Marco, Belém 

Tel.: (91) 3347-2829

Horário de funcionamento: 12h/15h e 19h/23h (sex. e sáb., 12h/15h30 e 19h/0h; dom., 12h/15h30) 

* Viagem a convite do Sebrae

Navegue pelo mapa e encontre outros destinos gastronômicos:

 

Ficou com água na boca?