Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Conheça Rungis, o melhor mercado de comida da França

Rungis é o maior mercado de comida fresca do mundo. Atacadistas vendem de tudo ali: de ostras a salmão, de gruyere a feijões verdes

15 dezembro 2014 | 17:40 por Alexandria Sage

Reuters

“Ponha seu nariz aqui”, é assim que Marinette recebe os clientes no mercado de Rungis, um dos mais preciosos endereços gastronômicos do mundo. Nas mãos ela tem uma caixa com graúdas trufas brancas da Itália. O preço: 1.800 euros o quilo. O dia apenas começou no grande mercado que abastece restaurantes e varejistas na França inteira.

Rungis é o maior mercado de comida fresca do mundo. E a dez dias do Natal, está lotado. Atacadistas vendem de tudo ali: de ostras a salmão, de gruyere a feijões verdes.

Yves Cremmer, vendedor de queijos, posa com uma peça de queijo Beaufort. FOTOS: Philippe Wojazer/Reuters

Eric, açougueiro no mercado de Rungis, tira uma pausa para o café

Localizado 7 km a sul de Paris, Rungis ocupa 234 hectares — área um pouco maior que a de Mônaco. Os 12 mil funcionários fazem que essa máquina bem azeitada gere 9 bilhões de euros em vendas por ano (com

aumento de 3,8% de 2012 para 2013). Ele foi construído para substituir o antigo mercado de Les Halles em Paris, que fechou em 1969.

O fim de ano é uma época agitada no galpão de carnes do Rungis

Jean-Paul Blanc é vendedor de ostras no mercado de peixes do Rungis

“Eu trabalho aqui há 35 anos”, diz Marinette. “Amo trufas, caviar e foie gras. Conheço todos os vendedores aqui, a atmosfera é ótima.”

Quando as portas se abrem a cada manhã, as 2 da madrugada, os primeiros compradores são os sushimen, que estão mais preocupados com a qualidade do peixe que vão servir (do que com o preço). Mais tarde,

chegam os compradores em busca de barganhas — conforme o dia passa, os preços caem.

Trufas italianas de Alba também podem ser encontradas no mercado

 Vieiras do mercado de Rungis

Marinette vende as trufas Tuber Melanosporum, a trufa negra francesa

Langostinos no mercado de peixes do Rungis

Maços de acelga

Enguia e peixes no mercado de peixes de Rungis

“A dez dias no Natal, a pressão é muita”, diz David Bourganel, diretor de desenvolvimento do mercado.

Três mil restaurantes fazem compras pessoalmente no Rungis diariamente. Outros 30 mil fazem pedidos para entrega — inclusive restaurantes na Ásia e no Oriente Médio. Ostras, salmões e perus são alguns dos itens mais procurados no fim de ano e que, pela demanda, ficam mais caros. Por exemplo, a lagosta, que estava custando entre 20 e 30 euros o quilo em julho, está valendo o dobro agora em dezembro, dizem os vendedores.

No mercado, é possível encontrar animais como esse, uma lagosta canadense de 10 quilos (acima), ou ouriços do mar (abaixo)

Às 5 da manhã, a atividade é no café Le Saint-Hubert, adjacente à ala das carnes, onde açougueros com suas roupas brancas cobertas de sangue se amontoam em torno do bar de zinco para se aquecer com uma taça de

vinho ou de cerveja. “Dá sede”, diz Eric, açougueiro com 30 anos de experiência em Rugins, que diz que apesar do frio nos pés e das longas jornadas, a rotina em Rungis é animada e alegre. “É realmente sobre

relacionamentos, você vê muitos pais e filhos, muita camaradagem.”

SERVIÇO | Mercado de Rungis

Onde: Rungis, Ilha de França

Tel: 06 26 58 35 74

Quanto: 80 euros

Para visitar o mercado, é preciso reservar. O passeio inclui transporte desde Paris e café da manhã no Le Saint-Hubert.

Ficou com água na boca?