Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Expectativa x realidade: repórteres do 'Paladar' tentam imitar o empratamento de restaurantes

Reportagem encomendou sete kits, cujos pratos chegam "desmontados" para o cliente finalizar em casa; confira os resultados

02 de julho de 2020 | 05:00 por Danielle Nagase e Renata Mesquita, O Estado de S.Paulo

Come-se primeiramente com os olhos, não restam dúvidas. O visual de um prato é tão importante para aguçar a fome, que chefs tratam de caprichar nas apresentações para conquistar comensais antes mesmo que a comida chegue à boca. Mas como, atualmente, a única saída para operar é o delivery, essa importante "etapa" do cozinhar foi jogada para escanteio. Afinal de contas, de que adiantaria investir tempo na montagem de um prato se ele vai chacoalhar na embalagem descartável que viaja dentro da mochila do motoboy? 

Kit do mil-folhas da confeitaria Dama 

Kit do mil-folhas da confeitaria Dama  Foto: Helena Mazza

Como a palavra do momento é reinvenção - e para deixar a experiência do comer em casa cada vez mais próxima à do restaurante -, chefs passam a mandar pratos “desmontados” para a casa do cliente para que eles mesmos empratem em casa. Além das instruções de montagem (por escrito ou em vídeo no Instagram ou YouTube), há casos que incluem até bisnaga de confeitar.

Pedimos sete desses kits para testar. Confira, a seguir, como nos saímos na nossa versão de expectativa vs. realidade

Mil-folhas, da Dama

O segredo do carro-chefe da confeitaria está na sua massa folhada, crocante, sequinha e saborosa. Com ela em mãos, fica difícil errar a receita. O kit ainda inclui uma bisnaga com o creme de confeiteiro de baunilha para rechear e açúcar de confeiteiro para peneirar por cima. Resultado? Dá para enganar muito bem os "clientes" de casa, tanto aparência quanto sabor, tais quais os comprados na confeitaria, e arrisco dizer, ainda mais fresquinho. (R$ 150, via WhatsApp 97095-3888 ou pelo Ifood) 

 

 

Merengue, da Dulca

Lúdica, a brincadeira chega em casa dentro de uma linda caixa recheada com dois discos grandes de suspiro, chantilly de baunilha, geleia de frutas vermelhas, morangos frescos cortados e um outro tanto deles inteiros, além de mini suspiros e confeitos coloridos. É só montar conforme as instruções que acompanham. (R$ 120, via WhatsApp 97307-6913 ou pelos aplicativos iFood e Rappi.) 

 

 

Leite e mel, do Charco

A confeiteira Nathalia Gonçalves manda bilhetinho escrito e desenhado a mão para explicar a montagem da sobremesa. É bem fácil de empratar, mas você pode se enrolar na hora de modelar a quenelle de sorvete de leite defumado. Dica: assista ao vídeo salvo nos destaques do Instagram (@charcorestaurante) e tente imitar a chef. Sorte de principiante ou não, está aí a minha quenelle! (R$ 28, via Rappi ou 95557-9346 para retirada). 

 

 

Beneditino avocado, do Botanikafe

Não sei como, mas os ovos beneditinos viajam superbem. Chegam em casa perfeitos, ainda quentes, com as gemas molinhas e o molho hollandaise bem lisinho (sinal de que nada talhou por ali). Com isso, não é preciso muito para montar um prato apetitoso - basta seguir a ordem de montagem mostrada em vídeo no site da casa (botanikafe.com.br). Anote aí: primeiro as torradas, depois a pasta de abacate, os ovos poché, o molho e a farofinha de bacon para finalizar (R$ 25, via Rappi). 

 

     

 

Confit de pato, do Bistrot de Paris 

Prepare o avental, é sério. No vídeo via QR code que acompanha o kit, o chef Alain Poletto aparece pleno na cozinha da sua casa, ensinando a finalizar o prato, que de fato fica praticamente igual -- sabor e visual (como você claramente vê nas fotos) -- do restaurante francês. Mas diferente de lá, eu aqui me sujei, e a cozinha, horrores, na hora de finalizar o pato as batatas na frigideira. Vale a pena? Vale sim, afinal, quem ta na cozinha é para se sujar (R$ 85, pelo telefone 3063-1675 ou WhatsApp (11) 99658-5901). 

 

 

Torresmo de pancetta, da Casa do Porco

Poder preparar e servir um torresmo carnudo, macio e extra crocante em casa, só com ajuda do chef Jefferson Rueda mesmo. A icônica etapa do menu-degustação da Casa do Porco, servida com goiabada e picles de cebola, está entre as opções do delivery para serem finalizadas em casa. Só não faça como a repórter aqui, que de tanta sede ao porco, colocou a goiaba na parte “errada” do quadradinho (mas convenhamos, to geral, esse é o de menos). (R$ 35, no Ifood). 

 

 

Steak tartare, do Lilu

Os componentes do prato chegam todos separadinhos dentro de caixas, com um recado impresso: “para preparar, basta você misturá-los”. Antes disso, fui espiar no Instagram para relembrar a apresentação tartare. Usei uma tigela à parte para fazer mistura sem sujar o prato de servir. Dentro dela, coloquei a carne, os legumes picadinhos, o molho (mexa antes, para ficar homogêneo) e parte dos flocos de milho (a outra parte coloquei à mão, um por um, com o tartare já no prato (oras, queria fazer bonito). As folhinhas de rúcula não acompanham (e eu também não tinha casa). R$ 56 com batata frita, via iFood ou 99746-0269 para retirada.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências