Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Em junho, boemia de São Paulo terá Bar Riviera de volta

Na esquina da Rua da Consolação com a Avenida Paulista, o letreiro de néon do Bar Riviera, fechado em 2006, voltou a funcionar. Anuncia: “Em breve”. A casa ponto de encontro de artistas, como Elis Regina e Chico Buarque, nos anos 1970, entrou em ritmo de reforma e em junho abre as portas.

12 março 2013 | 18:51 por redacaopaladar

As obras devem revitalizar o estabelecimento, mantendo suas principais características. O famoso balcão vermelho, peça clássica do bar, por exemplo, será mantido. O projeto prevê dois ambientes: o térreo ficará reservado para o bate-papo, enquanto no primeiro andar haverá um espaço dedicado a um clube de jazz, além de um palco para shows e performances de artistas da nova geração da MPB.

Localizado no térreo do Edifício Anchieta – um dos primeiros prédios modernos da região, com apartamentos dúplex -, o bar tem pé-direito alto e paredes de vidro arredondadas que dão certo charme para o salão. O ponto agora pertence a Facundo Guerra, dono também do Cine Joia e do Lions, entre outras casas.

Fachada do Bar Riviera, na esquina da Rua da Consolação com a Avenida Paulista. FOTOS: Ernesto Rodrigues/Estadão

Na cozinha. Para cuidar do cardápio do novo Riviera, Guerra chamou o chef Alex Atala, proprietário do aclamado D.O.M. “Existe pouquíssima coisa na internet sobre o bar, por isso encomendei uma pesquisa para saber como era o cardápio”, conta Atala, que pretende ser coerente com a história do bar.

A pesquisa tem a ajuda de Renato Mariscalco, filho do dono original – ele trabalhou com o pai durante anos. O sanduíche Royal, que era servido dentro de uma omelete, é um dos pratos clássicos do antigo Riviera que está na lista do chef. “Mas só vou começar a desenvolver o novo cardápio em abril”, diz Atala.

O ponto alto, porém, é a tentativa dos sócios de trazer de volta para o salão do Riviera o seu Juvenal (foto), icônico garçom que ainda é lembrado pelos nostálgicos frequentadores da década de 1970.

FOTO: Ernesto Rodrigues/Estadão

/ Agência Estado

Ficou com água na boca?