Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

'Resenha Paladar' conversa com Fábio Moon, o influenciador que virou chefe

Na live desta quinta, 24, o empresário vai falar sobre sua trajetória nas redes, o desafio de abrir um restaurante e como conseguiu transformar uma lanchonete temática no local mais concorrido da cidade

24 de fevereiro de 2022 | 05:00 por Redação Paladar, O Estado de S.Paulo

Quem nunca ouviu falar de Fábio Moon, bom sujeito não é - pelo menos no meio gastronômico. É possível afirmar que Moon é um vanguardista - ele foi, talvez, o primeiro foodie do Brasil. Entretanto, não ficou satisfeito apenas postando fotos de belas comidas, decidiu seguir um caminho mais difícil - investir no seu próprio restaurante. 

O empresário (e chef, como reluta em afirmar) é o convidado da live Resenha Paladar, desta quinta-feira, 24. A partir das 10h, ele vai bater um papo com a jornalista Vivian Mesquita sobre sua trajetória nas redes, o desafio de abrir um restaurante e como conseguiu transformar uma lanchonete temática no local mais concorrido da cidade - assista aqui

O influencer Fabio Moon 

O influencer Fabio Moon  Foto: Acervo pessoal

Trajetória

Ele não estudou gastronomia – é engenheiro –, sua paixão desde o início era comer e conhecer restaurantes e o trabalho de grandes chefs. Em 2014, Fabio já postava fotos de comidas, pratos e drinques dos melhores restaurantes e bares ao redor do mundo, foi um dos primeiros blogueiros ou influenciadores de gastronomia das redes sociais por aqui. Antes de todos, ele já soltava rankings de onde encontrar o melhor mil-folhas ou steak tartare na cidade – o que gerava muita polêmica. Era ame ou odeie o Fábio Moon e suas listas.

Hoje são mais de 98,6 mil seguidores no Instagram. Mas nada comparado com a conta na rede do seu mais recente empreendimento, o Jurassic Park Burger Restaurant - uma lanchonete temática, parceria com a Iron Studios, marca de figuras colecionáveis licenciadas, -  são mais de 280 mil seguidores.  

O estabelecimento, que conta com um tiranossauro de 6,5 metros de altura no meio do salão, coleciona filas de dobrar o quarteirão, literalmente, desde a sua inauguração, em setembro de 2021. Foi pensado para atrair crianças e aficionados no universo dos super-heróis, mas ganhou fama com os sanduíches e batatas fritas desenvolvidos por Moon.

Funciona no esquema fast-food, o cliente paga e espera chamarem sua senha para receber a bandeja com a comida em caixas de papelão recheadas de clássicos, como cheeseburguer, fritas e frango frito - no caso, o t-rex finger, asinha de frango recheada de carne da ave marinada em cerveja preta e especiarias, assada e então glaceada. Tudo feito com ingredientes de qualidade e na casa, do pão ao bacon, e acima de tudo frescos. 

Cheese-salada do Jurassic Park Burger 

Cheese-salada do Jurassic Park Burger  Foto: Acervo Pessoal

Ainda em 2014, ele chegou a lançar um aplicativo de reservas para restaurantes, chamado Table 4, que não vingou. Sua primeira incursão de fato no universo da gastronomia foi só em 2019, quando abriu a lanchonete Fat Cow , também no Itaim. O restaurante é fruto de uma parceria com o chef Luiz Filipe Souza, seu amigo, que também comanda o restaurante italiano Evvai, que hoje ostenta uma estrela Michelin.

É uma hamburgueria, mas não é. As receitas e combinações levam o hambúrguer para outro patamar, além de contar com pitadas de outras cozinhas, exemplo a tako-xinha, coxinha cremosa de polvo, e do mandu, um guioza de massa e recheio de kimchi feitos na casa, para petiscar. Outro forte do Fat Cow é a coquetelaria, os drinques são muito mais elaborados do que se poderia esperar de uma “hamburgueria” e foram concebidos pelo bartender Rodrigo Rosso. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?