Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Fica aí: Barú para lamber os dedos, em casa

Os pratos de mar com sabores latinos do chef Dagoberto Torres viajam muito bem

05 de agosto de 2020 | 05:00 por Patricia Ferraz, O Estado de S.Paulo

A comida colorida e cheia de sabores da Barú Marisqueria deixa qualquer dia com cara de sábado ensolarado. A casa minúscula, instalada numa viela na Rua Augusta, voltou, esta semana, a abrir todos os dias, com mesas ao ar livre e um total de 28 lugares, mas aqui vai um aviso para quem, como eu, ainda não se sente seguro para frequentar restaurantes: os pratos de mar com sabores latinos do chef Dagoberto Torres viajam muito bem

Picadito Playero; ceviche de atum com sweet chili, sriracha e patacones

Picadito Playero; ceviche de atum com sweet chili, sriracha e patacones Foto: Rogério Voltan

Vá direto para a seção Levanta Muertos do cardápio. É ali que está o picadillo playero, um ceviche de atum com sweet chili, pimenta sriracha e ótimos patacones – são bananas da terra verdes, fritas, esmagadas e fritas novamente até ficarem crocantes. Se não provou ainda, está perdendo. De quebra, elas travam ótimo papo com o ceviche, equilibram a picância e provocam contraste de texturas.

Em seguida, prepare-se para lamber os dedos com os vôngoles (R$ 34) e com os mejillones al pisco (R$ 38) que vêm em molho levemente picante de tomate com pisco e leite de coco e são acompanhados de arepas, aqueles pãezinhos de milho achatados e fritos.

Pegue com os dedos também os camarones al ajillo (R$ 75), que vêm inteiros, perfeitamente fritos com casca na manteiga de alho e vinho branco...imperdíveis. Mas, torça para precisar lavar as mãos e enfiar o garfo na barriga de atum grelhada na chapa, com vegetais e maionese de pimenta jalapeño (R$ 56), sinal que deu sorte, já que não é sempre que esse prato está disponível (um atum de 100 kg tem apenas 1 kg de barriga…).  

Camarones al ajillo

Camarones al ajillo Foto: Rogério Voltan

Se estiver com vontade de cozinhar, peça os pratos da Baru para finalizar em casa. Desde o início da pandemia, o chef e a sócia e sommelière uruguaia Camila Ciganda abriram um novo negócio chamado Peixaria Baru. Eles aproveitaram a rede de fornecedores e pescadores sustentáveis, uma das bandeiras da casa, e passaram a vender também peixes e frutos do mar limpos e porcionados, além dos molhos e manteigas compostas do restaurante.

Tem os camarões grandes limpos (R$ 38) e a manteiga de alho (R$ 6); os anéis de lula (R$ 40) e a manteiga de chili verde (R$6) para acompanhar; prejereba (R$ 38, filé 240g), tambaqui (R$ 32, meia banda)... Você pode comprar os pescados frescos, embalados à vácuo, ou supercongelados (a -20ºC). 

Só peça a sobremesa se gostar de doce bem doce: três leches con piña (R$ 18) é um pote com pão de ló, calda de três leites, abacaxi na brasa e manga, tudo coberto por suspiro. 

Lambe-lambe. Vôngoles do Barú na sua casa 

Lambe-lambe. Vôngoles do Barú na sua casa  Foto: Rogerio Voltan

Na próxima, vou dar nova chance aos sanduíches – são divinos, um de atum com guacamole e maionese de jalapeño (R$ 37), e outro de milanesa de meca e kimchi (R$ 35), mas chegaram encharcados. Soube que trocaram o pão e vou voltar a pedir. Delivery direto, pelo telefone (11) 3062-0898. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências