Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Guia Michelin apresenta as estrelas de 2009

02 março 2009 | 14:51 por luizhorta

Patrícia Ferraz (de Paris)

A edição número 100 do Guia Michelin da França foi apresentada hoje, no Museu D’Orsay em Paris e começa a ser vendida na Europa na quinta-feira dia 5.

Apenas um endereço em todo o país subiu neste ano à categoria máxima de 3 estrelas, o restaurante do hotel Le Bristol, comandado pelo chef Eric Frechon. A classificação, bastante criticada pela imprensa francesa, já vinha sendo anunciada pelos jornais locais há alguns dias. O endereço apontado como o preferido do presidente da França, Nicholas Sarkozy, ascendeu no ano passado à categoria “espoir”, ou seja, aspirante à cotação máxima. Os inspetores realizaram quatro visitas ao local em 2008 e decidiram dar as três estrelas.

Veja também:

link Alegrias e decepções em Paris

link Chuva de trufas no novo restaurante triestrelado

link Veyrat devolve três estrelas ao Guia Michelin

link O primeiro 3 estrelas Michelin da China

Com a nova adesão, agora são 26 restaurantes classificados com a cotação máxima de três estrelas em toda a França. Um restaurante deixou de ter as três estrelas, Maison de Bricourt, em Cancale, por decisão de seu chef Olivier Roellinger que as devolveu ao guia, alegando cansaço com a pressão de manter uma casa tri-estrelada.

Nove endereços conquistaram a segunda estrela na seleção de 2009, entre eles o L’Espadon, do Hotel Ritz, em Paris; o do controvertido chef inglês Gordon Ramsay, em Versailles; o Mère Brazier, em Lyon e mais: L’Atelier de Jean Luc Rabanel, em Arles; Le St-James, em Bordeaux, Guy Lassausaie, em Chasselay,Hostellerie Le Castellas, em Pont-du-Gard; Casadelmar, em Porto-Vecchio; Faventia, em Tourrettes. Dois restaurantes perderam suas duas estrelas: Alain Llorca- Le Moulin de Mougins, em Mougins e Les Elysées, em Paris. O Chef Ruffet, em Pau (Jurançon) baixou de duas estrelas para uma. Ao todo, atualmente são 73 restaurantes duas estrelas na França. Entre eles, nenhum foi apontado como aspirante à terceira estrela para o ano que vem.

Nunca houve tantos restaurantes classificados com a primeira estrela de uma só vez em toda a história da publicação. Foram 63 inclusões neste ano, que totalizam 449 restaurantes nesta categoria na França. Os novos uma estrela parisienses são: Fogón, 35 Ouest, L’Arôme, etc…, Jules Vernes de Alain Ducasse; Agapé, Bigarrade.

Ao todo, 39 restaurantes perderam a única estrela que possuíam. Dois deles, com explicações: Mathieu Viannay, de Lyon, assumiu o Mère Brizard, onde conquistou duas estrelas; e o chef Christophe Dufau saiu do Les Bacchanales, em Tourretes-sur-Loup e assumiu o Vence, onde conquistou uma estrela. Há 14 restaurantes classificados como aspirantes à primeira estrela.

Outra novidade anunciada hoje: o conteúdo do guia poderá ser acessado pelo iphone, e a consulta pode ser feita pelo nome ou endereço do restaurante e ainda pelos endereços mais próximos de onde está o assinante no momento da consulta.

O local escolhido para o lançamento do guia foi o Museu D’Orsay, edifício construído em 1900, ano do lançamento do primeiro Guide Michelin. Antes de abrigar o museu, o local era uma estação de trens. Uma exposição de capas comemorativas, especialmente criadas por artistas, foi montada numa sala do museu.

Um grande evento gastronômico Le Mois Gourmand deverá marcar os cem anos do guia na França, de 9 de Março até 5 de abril. Durante o período, 900 restaurantes listados que figuram no guia vão oferecer menus especiais por preços baixos. A programação também inclui degustações, visitas guiadas a vinícolas e lojas de ingredientes com descontos para quem comprar o guia e apresentar um cupom incluído na publicação.

Ficou com água na boca?