Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Hoje é dia de São Cosme e Damião, dia de comer caruru; saiba onde em São Paulo

O cozido de quiabos costuma ser servido com xinxim de galinha, vatapá e feijão-fradinho, tudo regado a azeite de dendê

27 de setembro de 2019 | 11:38 por Redação Paladar, O Estado de S.Paulo

O prato-símbolo da festa de São Cosme e Damião, celebrada nesta sexta-feira, 27 de setembro, é o caruru.

Na Bahia, onde a data é comemorada com grandes banquetes, o cozido de quiabos costuma ser servido ainda com xinxim de galinha, vatapá, feijão-fradinho, camarões, acarajé, tudo regado a muito azeite de dendê

A oferta do caruru de sete meninos é a celebração trazida pelo candomblé para o dia dos santos católicos (saiba mais abaixo). Mas você não precisa ir até a Bahia (se estiver em Salvador, veja onde comer) para celebrar a data, tão marcada pelo sincretismo religioso.   

restaurantes paulistanos que servem o prato em um menu especial, outros que distribuem de graça o caruru acompanhado de rezas, festa, doces e brinquedos para crianças. O Paladar preparou um roteiro com sete endereços em São Paulo que participam da festa.

Prato de caruru do Pão de Festa, com vatapá (amarelo à esq.), caruru (verde à dir.) e xinxim de galinha no topo

Prato de caruru do Pão de Festa, com vatapá (amarelo à esq.), caruru (verde à dir.) e xinxim de galinha no topo Foto: Vivan Elblaus

● Pão de Festa

Serve o prato no almoço, das 13h às 17h, por R$ 45. O caruru também integra o menu fixo do almoço nos finais de semana ao preço de R$ 55 por pessoa. A casa comemora Cosme e Damião com o caruru há 23 anos.

Onde: Rua Araguari, 84, Moema, tel. 5531-3823

 

● Casa de Ieda

Às 12h30 haverá uma oferenda a Cosme e Damião, seguida de almoço para crianças às 13h30. As comemorações estão programadas para a sequência, das 14h às 20h. Esta é a segunda edição da festa. O prato completo sai por R$ 40, mas somente para os adultos, porque a refeição para as crianças é gratuita.

Onde: Rua Ferreira de Araújo, 841, Pinheiros, tel. 4323-9158

 

● Rota do Acarajé

O restaurante promete uma grande festa nesta sexta-feira, com reza e distribuição de brinquedos e doces para crianças a partir das 18h. O caruru vai ser distribuído gratuitamente, mas é de bom tom levar doces e brinquedos que possam ser doados. A casa serve o prato no menu fixo a R$ 48 com porção para duas pessoas. A opção mais reforçada, com mais tempero e oito camarões médios, também para duas pessoas, sai por R$ 128.

Onde: Rua Martim Francisco, 529, Santa Cecília, tel. 3668-6222

 

● Benedita

Em sua terceira edição da celebração de Cosme e Damião, o restaurante do chef Rodrigo Isaías serve o caruru até domingo, 29, no horário do almoço. O prato sai por R$ 58,90.

Onde: Rua Havaí, 258, Perdizes, tel. 3875-4764

O prato, um cozido de quiabos, é um símbolo da culinária baiana

O prato, um cozido de quiabos, é um símbolo da culinária baiana Foto: Alex Silva/Estadão

 

● Sotero

Aberto no almoço e no jantar, o Sotero serve seu caruru especial de Cosme e Damião por R$ 59,90 até 29 de setembro. Há as opções de caruru com xinxim de galinha ou moqueca de peixe. A receita integra também o menu fixo da casa, acompanhada por vatapá, farofa de dendê e moqueca de galinha, e custa R$ 63,70.

Onde: Rua Barão de Tatuí, 282, Santa Cecília, tel. 3666-3066

 

● Carurivis - Heavy House

Para os mais animados, a opção é a Carurivis, festa que irá da mistura musical de Novos Baianos ao afoxé, passando pelo samba, axé e regionalismos diversos. A festa será no sábado, 28, das 12h ao começo da madrugada de domingo e, claro, terá caruru tradicional no almoço. A entrada custa R$ 20 e o almoço, servido até às 18h, R$ 30.

Onde: Rua Benjamim Egas, 297, Pinheiros; mais informações 

 

● Petit Comité Rotisserie

Serve o caruru nessa sexta e no sábado, a R$ 62 por pessoa, sempre no almoço (das 12h às 15h na sexta e das 12h às 16h no sábado). O prato inclui uma bebida e uma mini-sobremesa, além de um kit de doces. O restaurante também aceita encomendas (sai a R$ 80 por pessoa, já inclusa a entrega).

Onde: Rua Gaivota, 763 - Moema, tel. 2359-0771

 

Banquete de Cosme e Damião 

Irmãos árabes nascidos no século 4 e filhos de cristãos, Cosme e Damião eram médicos, porém não foram adotados pelo candomblé pelo trabalho com caridade e cura, e sim por serem gêmeos. Numa época em que negros na Bahia não podiam reverenciar publicamente o candomblé, os dois serviram, no sincretismo religioso, como representação dos gêmeos Taiwo e Kehinde (chamados de Ibeji, que representa um único orixá gêmeo), filhos de Xangô e Iansã.

Pois é com os orixás, e não com os santos católicos, que entra a comilança de dendê no dia 27 de setembro. Como conta o livro Cozinhando História (Fundação Pierre Verger, 2015), das autoras Josmara Fregoneze, Marlene Jesus da Costa e Nancy de Souza, Xangô andava irritado porque Exu vivia roubando seu prato de amalá (semelhante ao caruru, mas carregado na pimenta). Taiwo e Kehinde falaram ao pai que iam dar um jeito em Exu.

Depois de uma aposta em que cansaram o orixá de tanto dançar, os dois conseguiram a promessa de Exu de nunca mais roubar o amalá. Em troca, Xangô perguntou o que eles queriam de recompensa. Disseram ao pai que, quando tivesse amalá, que deixasse um pouco para eles sem pimenta – o caruru.

Ficou com água na boca?