Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Já provou os sandubas do Pinati?

Lanchonete kasher de sanduíches à moda das ruas de Israel em Santa Cecília celebra dez anos este mês com novidades no cardápio e sandubas criados por chefs convidados

05 de maio de 2021 | 05:00 por Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

Dez anos atrás, o israelene Bentzi Berlovich fechou a loja de roupas no Bom Retiro, que manteve por vinte anos. Precisava se reinventar, mas não sabia o que fazer. O filho Alon sugeriu abrir uma lanchonete de comida kasher. A ideia era servir hambúrguer e sanduíches à moda das ruas de Israel. Mãe e pai na cozinha, filho na administração. 

E assim nasceu, apertadinho numa esquina de Santa Cecília, o Pinati, frequentado basicamente pela comunidade judaica. Lugar simples de comida de rua israelense. Pinati, em hebraico, significa “minha esquina”.

Pinati, passeio pelas comidas de rua de Israel com toques autorais 

Pinati, passeio pelas comidas de rua de Israel com toques autorais  Foto: Patrícia Ferraz/Estadão

No começo, o cardápio era bem tradicional, faláfel, kafta, shawarma, pão pita, hummus… Aos poucos, Alon foi pegando gosto pela cozinha e começou a inventar, juntando suas criações aos pratos tradicionais do cardápio. Em 2014, ele teve a ousadia de misturar no mesmo pão lafa o seguinte: shawarma de carne bovina e de frango, schnitzel e salame judaico, picadinhos. Temperou com maionese, colocou um pouco de cebola dourada na chapa, batata palha, e, por cima, pôs um ovo frito com a gema mole virada para baixo. Enrolou bem, apertou, envolveu em papel alumínio e cortou ao meio. Estava criada a estrela do Pinati, o mish mash (R$ 59).

Acredite, é uma delícia. E, acredite de novo, se comporta bem no delivery. Vai sobrar, é claro (é enorme), mas não se preocupe, no dia seguinte, aqueça o forno e em poucos minutos, o mish mash volta à vida. 

Outra invenção que deu certo é o kabanos, criado para aproveitar o vursht, a linguiça bovina seca e apimentada que já estava no cardápio. Alon misturou o vursht com chimichurri, maionese, mostarda e batata palha (R$ 46). Esquisito? Delicioso – e robusto, como todos os sanduíches da casa. O hambúrguer no pão pita é servido com cebola caramelizada, maionese de salsinha e a batata palha, que está em todas (R$ 37). E ainda tem o falovo, um bolovo de faláfel, servido com tahine (R$ 18). 

A última novidade é o arais. A carne moída, muito bem temperada, vai para a chapa com o vursht. É servido no pita bem tostado(R$38). O arais é uma delícia, mas não tem sempre. Neste mês, porém, está no cardápio toda sexta-feira no almoço. Faz parte das celebrações de dez anos da casa – durante o mês de maio, o cardápio do Pinati terá sanduíches criados especialmente por cinco chefs convidados. Um chef a cada dia da semana.  

Família Berlovich comanda a lanchonete kasher na Santa Cecília 

Família Berlovich comanda a lanchonete kasher na Santa Cecília  Foto: Pinati

Nesta quarta (5), o sanduíche é do Oscar Bosch, do Tanit, uma combinação de purê de berinjela, picles, costela desfiada e faláfel no pão lafa artesanal (R$ 46). Benny Novak, do Ici Bistro, Julio Raw, do Z-Deli, Talitha Barros, do Conceição Discos, e Gabriel Broide, chef do hotel Botanique, também criaram sanduíches. A celebração dos dez anos é uma homenagem ao pai de Alon, Bentzi, que morreu no começo deste ano, subitamente.  

Delivery pelo iFood. Ou retirada no local, Alameda Barros, 782, Santa Cecília.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?