Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Kare japonês é sugestão para os dias mais frios. Veja onde pedir

Sinônimo de comfort food para os japoneses, ensopado à base de carne, legumes e curry combina dulçor e apimentado

14 de maio de 2021 | 05:00 por Cintia Oliveira, Especial para o Estado

É só começar a cair a temperatura que o kare, ensopado de textura encorpada à base de carne, legumes e curry, torna-se presença constante na mesa dos japoneses. “É o tipo de comida que se prepara nas casas do Japão e cada família tem a sua receita”, explica a chef Telma Shiraishi, do restaurante Aizomê. 

Kare do Aizome 

Kare do Aizome  Foto: Rafael Salvador

Com um sabor marcante, que combina dulçor e apimentado - a intensidade pode variar de acordo com a receita -, o prato pode ser servido com diversos acompanhamentos. Os mais clássicos são o gohan (arroz japonês), o tonkatsu (porco empanado e frito), além do fukujinzuke (conserva de legumes com sabor adocicado). Como se não bastasse, o kare também pode ganhar outras roupagens, seja como molho de udon ou recheio do kare pan, um pãozinho frito tipicamente japonês. 

+ Curry, caril ou kare?

Diversos restaurantes da capital paulista aproveitam a chegada do frio para incorporar o prato aos seus respectivos cardápios. Vale lembrar aos entusiastas (porém receosos) com sabores mais apimentados, a maioria das casas não pesam tanto a mão, ou oferecem a receita em diferentes intensidades. A seguir, confira alguns endereços onde provar ou pedir o kare em casa. 

Aizomê 

Servido no almoço, tanto na sede quanto na filial do restaurante, instalada na Japan House, o kare elaborado pela chef Telma Shiraishi é veggie. Não leva carne, mas é repleto de vegetais como batata, cenoura, chuchu, abóbora e mandioquinha. Finalizado com curry importado do Japão e ervilhas, o kare de sabor marcante a apimentado na medida certa é servido com gohan. É possível escolher a proteína: tonkatsu (copa lombo de porco empanado e frito), karaage (frango frito) e koroke (croquete de batata) de milho com queijo (R$ 70). Aliás, o kare também é recheio do kare pan, um pãozinho frito tipicamente japonês que também faz parte do cardápio (R$ 12).  

Onde: Alameda Fernão Cardim, 39, Jardim Paulista. 2222-1176. 11h30/ 14h30 e 18h/ 21h. Delivery próprio e pelo iFood. 

Pub Keito 

O chef Nobu Ozaki oferece uma versão mais do que especial do kare japonês, que é elaborado com técnicas francesas. À base de bouillon (caldo à base de legumes) e molho roti, a receita leva curry indiano e vinho tinto. O resultado é um kare repleto de complexidade, que serve como base para diversas sugestões do menu de delivery da casa. Uma delas é a carne steaw, em que o molho suculento envolve cubos de capa de filé bovino cozido por horas e champignon, e é guarnecido de gohan e fukujinzuke (R$ 50). Já no salão, vale pedir o teishoku, refeição completa na qual o kare chega à mesa com uma opção de milanesa, gohan, salada, tsukemono (conserva de legumes), missoshiro (sopa de missô), fruta do dia e chá da casa (a partir de R$ 69). Aliás, é possível escolher a intensidade da picância do kare, que vai do fraco ao extra forte. 

   

Onde: Av. Paulista, 854, Bela Vista. 3262-2931. 11h30/ 14h30 e 18h/ 20h. Delivery próprio e Rappi. 

Kare vegano com berinjela katsu do Pub Keito

Kare vegano com berinjela katsu do Pub Keito Foto: Vitor Morinishi

 

Kidoairaku 

Desde 1988, o restaurante comandado pela família Matsui é conhecido pela seleção de pratos tradicionais da culinária japonesa. Embora o salão esteja fechado, o restaurante se mantém no delivery, onde oferece sugestões como o kare. O ensopado de textura espessa e sabor apimentado leva carne, vegetais, curry, manteiga, além de outros ingredientes mantidos em segredo. É guarnecido de gohan (arroz japonês), tonkatsu (copa lombo de porco empanado e frito), salada com molho da casa e fukujinzuke (conserva de legumes com sabor adocicado, R$ 58). O local também oferece para viagem a versão vegana, na qual a carne do ensopado sai de cena para dar lugar ao shimeji (R$ 47). 

   

Onde: R. São Joaquim, 381, Liberdade. 3132-6083. 11h/ 14h e 18h/ 20h (sex. e sáb. 11h/ 14h30 e 18h/ 20h. fecha 2ª). Delivery próprio, pelo iFood e take away. 

 

Kinoshita

O chef Alberto Morisawa utiliza o dashi como base do kare, que ainda leva carne, legumes como cebola, batata e cenoura, além de curry importado do Japão. Depois de pronto, o kare é emulsionado, formando assim um creme de textura aveludada, que é apimentado na medida certa. A receita chega à mesa com gohan, salada de repolho com maionese de limão e, como acompanhamento, é possível escolher entre panceta cozida por quatro horas no vapor, empanada e frita (R$ 70,81), milanesas de filé mignon (R$ 70,81) ou de camarão (R$ 80,81).    

Onde: R. Jacques Félix, 405, Vila Nova Conceição. 3849-6940. 12h/ 15h e 18h/ 21h (sáb. 12h/ 16h e 18h/ 21h.). Delivery pelo iFood. 

Hidden by 2nd Floor 

Inspirado pela receita de sua avó, o chef Luis Yscava criou a sua versão apimentada do kare para o seu restaurante, que atualmente funciona no delivery. Elaborada com caldo à base de frango e legumes, que é o mesmo utilizado na seleção de ramen, udon e noodles, a receita leva uma combinação de curries indiano e japonês. O resultado é um creme de textura sedosa, que é guarnecido de tonkatsu, gohan, picles de shiitake, benishoga (gengibre em conserva) e cebolinha (R$ 69). Em vez de arroz japonês, também é possível pedir o kare com udon (R$ 79). E o molho também é servido como acompanhamento do cheese mochi (bolinho de arroz glutinoso com queijo, batata e nori, R$ 19, três unidades)  

Onde: Al. dos Nhambiquaras, 921, Moema. 99264-1229. 18h/ 22h (6ª e sáb. 12h/ 15h e 18h/ 22h. fecha dom.)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?