Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Ken Friedman, poderoso restaurateur americano, é acusado de assédio sexual

Administrador e líder do salão do Spotted Pig, Friedman vai se afastar por tempo indeterminado depois da denúncia de diversas funcionárias

20 dezembro 2017 | 17:07 por Julia Moskin e Kim Severson

The New York Times

Natalie Saibel, uma funcionária de longa data no Spotted Pig, restaurante do West Village com investidores famosos, não pediu demissão em 2015 depois que o proprietário, Ken Friedman, passou as mãos sobre suas nádegas e depois na sua virilha em um salão cheio de clientes, e brincou dizendo que estava procurando nos bolsos dela um celular proibido.

Amy Dee Richardson, gerente de um bar lá, não pediu demissão em 2004, quando, segundo diz, Friedman a mordeu na cintura quando ela se abaixou subitamente sob o bar. Nem Trish Nelson, funcionária há muitos anos, segundo a qual ele agarrou sua cabeça e puxou-a em direção à sua virilha na frente de Amy Poehler em 2007, enquanto Trish se ajoelhou para pegar os óculos em uma prateleira baixa.

Mas uma noite em 2012, Friedman levou o caso longe demais. Trish Nelson disse que “ele me convidou para ir ao seu carro fumar maconha e quase imediatamente se lançou para a frente e enfiou sua língua na minha boca”. “Fiquei com medo”, lembra ela. “Eu não podia acreditar. Trabalhei para ele durante seis anos”.

Ficou com água na boca?

Ken Friedman.

Ken Friedman. Foto: Jimi Celeste|NYT

Trish Nelson, de 40 anos, disse que estava prensada contra a porta do carro, mas conseguiu abri-la e escorregar para fora. Ela entrou com um aviso prévio alguns dias depois. “Eu estava apavorada para contar às pessoas por quê”, disse ela. “Ken se gabava de incluir pessoas em uma lista negra o tempo todo. E nós vimos isso acontecer. “

Quase que desde o dia em 2004 quando foi inaugurado o restaurante, com o apoio de investidores como Jay-Z, Michael Stipe e o famoso chef Mario Batali, o Spotted Pig chegou ao topo da lista de restaurantes mais populares da cidade de Nova York e lá ficou. Um lugar cujo terceiro andar é uma famosa sala privada para os VIPs escolhidos a dedo, o Spotted Pig colecionou estrelas Michelin e elogios para o sua chef, April Bloomfield. Em 2016, a Fundação James Beard nomeou Friedman, conhecido por seu carisma e perspicácia empresarial, seu excelente restauranteur do ano.

Mas em mais de duas dezenas de entrevistas com ex-funcionários do Spotted Pig e de outros restaurantes pertencentes a Friedman e a Bloomfield, surgiu um sombrio retrato de trás dos bastidores do proprietário e dos locais de trabalho que ele administra.

Mesmo com os padrões flexíveis do setor de hospitalidade, onde ruidosas sessões de bebidas após turnos e brincadeiras sexuais fazem parte da cultura, os funcionários descreveram os restaurantes de Friedman como extraordinariamente sexuados e coercivos.

Dez mulheres disseram que Friedman, de 56 anos, as submeteu a avanços sexuais indesejados: tateando-as em público, exigindo sexo ou fazendo pedidos de texto para fotos nuas ou sexo em grupo. Muitos outras também disseram que trabalhar para ele exigia tolerar beijos e toques diários, esticando turnos durante toda a noite em festas privadas que incluíam sexo público e nudez, e prolongados assobios e apalpação por parte dos convidados que são amigos de Friedman.

Natalie Saibel, Jamie Seet e Trish Nelson.

Natalie Saibel, Jamie Seet e Trish Nelson. Foto: Celeste Sloman|NYT

O Spotted Pig era uma parada regular de fim de noite para Batali, que na semana passada disse estar se afastando das operações do dia-a-dia em seus próprios restaurantes e outras empresas depois de relatos de comportamento sexual inapropriado. Empregados do Spotted Pig disseram que regularmente foram submetidos ou testemunharam agressão sexual da parte de Batali, em geral com o conhecimento de Friedman.

Em uma resposta a perguntas do New York Times na segunda-feira, Friedman disse que sua vida, pessoal e profissional, está entrelaçada com a de seus restaurantes e funcionários. (Sua esposa é uma ex-host no Spotted Pig). “Alguns incidentes não aconteceram como foram descritos, mas o contexto e o conteúdo não em discussão hoje”, disse ele. “Peço desculpas agora publicamente pelas minhas ações”.

Mario Batali afasta-se de restaurantes em meio a acusações de assédio sexual

Seu comportamento, disse ele, "pode ser descrito com precisão às vezes como cáustico, grosseiro e francamente errado”. Ele disse que as mulheres que trabalham em seus restaurantes “estão entre os melhores do setor e é injustificável colocar qualquer um em situações humilhantes.”

Depois que este artigo foi publicado, sua empresa anunciou que Friedman decidiu afastar-se imediatamente, por um prazo indefinido, da administração dos restaurantes.

Friedman é um dos principais restauranteurs dos EUA, em grande parte devido à sua parceria com April Bloomfield, que está entre as chefs mais destacadas. Eles possuem cinco restaurantes em Nova York - o Spotted Pig, o Breslin Bar & Dining Room, o John Dory Oyster Bar, o Salvation Taco e o White Gold Butchers -, bem como o Tosca Cafe em San Francisco e o Hearth & Hound, que abriu na última sexta-feira em Los Angeles.

Muitos funcionários disseram que eles, como o Friedman, às vezes confundiram o limite entre suas vidas pessoais e profissionais.

"Nós não somos pessoas que podem viver em cubículos", disse Carla Rza Betts, de 39 anos, que era diretora de vinho no Spotted Pig, no Breslin e no John Dory de 2009 até 2013, quando deixou a empresa depois de experimentar o que ela disse serem múltiplos incidentes de assédio sexual da parte de Friedman. “Há uma cultura de fim de noite, muito agradável, que eu adoro. Mas há uma diferença entre diversão e camaradagem sexuada e predação. Mas é uma coisa diferente, quando você é levada a se sentir insegura ou suja ou envergonhada ".

Todos os funcionários entrevistados disseram que, para muitas mulheres, as insinuações sexuais indesejadas vindas de Friedman, verbais ou físicas, faziam parte da rotina diária em seus restaurantes de Nova York, especialmente no pequeno e íntimo Spotted Pig. Segundo eles, Friedman teve relações sexuais consensuais frequentes com funcionários que eram abertamente contratados, promovidos ou demitidos com base em seu poder de atração física; ele estava em geral embriagado no trabalho; e pressionou os membros da equipe para beber e tomar drogas na companhia dele e de convidados.

Muitos disseram que passaram a temer Friedman, um homem robusto com mais de 1,80 m de altura, por causa de seu temperamento volátil e destempero verbal.

The Spotted Pig.

The Spotted Pig. Foto: Karsten Moran|NYT

“Tínhamos que nos preparar cada vez que Ken chegava”, disse a Saibel, de 40 anos, a funcionária que apalpada por Friedman na sala de jantar do Spotted Pig. (Seu relato foi corroborado por outros dois funcionários que estavam presentes.) “Quando ele vinha para cima de nós, estava gritando com a gente”.

Eles também disseram que seu medo foi motivado pelo conhecimento de que o Sr. Friedman tinha retaliado contra os funcionários que o enfrentavam, demitindo-os, colocando-os em uma lista negra ou assediando-os via telefone, texto ou e-mails.

Saibel escreveu uma queixa formal sobre o Friedman e enviou-a aos administradores do restaurante e à chef Bloomfield. Logo depois, ela e seu marido, ambos funcionários de longa data, foram demitidos por infrações de pouca importância.

Vários outros funcionários dizem que também apresentaram suas queixas e preocupações sobre Friedman à chef Bloomfield. “Sua resposta foi sempre a mesma coisa", disse Trish Nelson, que não trouxe suas queixas ao chef, mas estava perto de outras pessoas que o fizeram. ‘Ele é assim. Acostume-se. Ou vá trabalhar para outra pessoa’”. 

As alegações de assédio sexual podem parecer surpreendentes, dada a duradoura colaboração de Friedman com Bloomfield, de 43 anos. Os dois dividiram claramente seus domínios: a sala de jantar e o bar são liderados por Friedman e as cozinhas por Bloomfield. “Minha energia é direcionada para a cozinha, preparação de alimentos e desenvolvimento de menu", disse Bloomfield em um comunicado.

Mas os membros da equipe disseram que se voltaram para ela em busca de alívio. “Procurei April diretamente várias vezes sobre o comportamento inadequado e abusivo de Ken, porque, isso, entre outros problemas, gerou grande rotatividade de funcionários”, disse Natalie Freihon, ex-diretora de alimentos e bebidas para os empreendimentos do grupo no Ace Hotel New York, incluindo o Breslin e o John Dory. “Ela realmente não queria que a rotatividade continuasse. Mas ela rejeitou completamente a ideia de se envolver com o comportamento”.

Bloomfield negou isso. “Nas duas questões envolvendo abordagens não procuradas, que foram trazidas à minha atenção ao longo dos anos, imediatamente falei com nosso conselho de trabalho externo e eles foram abordados interinamente”, disse ela em seu comunicado. “Falei com Ken sobre limites profissionais e confiei nele para defender nossas políticas. No entanto, sinto que decepcionamos nossos funcionários e, por esse fato, eu sinceramente peço desculpas”.

/ Tradução de Claudia Bozzo

Ficou com água na boca?