Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Lista dos 50 melhores restaurantes do mundo será anunciada nesta terça

A 18ª edição do ranking será divulgada em cerimônia em Cingapura. Acompanhe a cobertura ao vivo aqui no site do 'Paladar. A torcida dos brasileiros é pela entrada d'A Casa do Porco na lista

24 de junho de 2019 | 18:36 por Redação Paladar, O Estado de S.Paulo

Chegou a hora de conhecer os 50 melhores restaurantes do mundo. Nesta terça-feira (25), Cingapura será o palco da cerimônia do World's 50 Best Restaurants 2019. O ranking será anunciado durante uma festa que começa às 9h45 no Brasil (às 20h45 no horário local). Acompanhe a cobertura do evento pelo site do Paladar e pelas nossas redes sociais: Twitter, Facebook e Instagram

Massimo Bottura recebe o prêmio pelo Osteria Francescana, eleito o melhor restaurante do mundo.

Massimo Bottura recebe o prêmio pelo Osteria Francescana, eleito o melhor restaurante do mundo. Foto: Vincent West|AFP

Na última terça, dia 18/6, o prêmio divulgou a "segunda parte" da lista que, este ano, tem 120 posições, em vez das tradicionais cem. O motivo para a mudança foi os 120 anos da S.Pellegrino, marca que patrocina a 18ª edição. 

Pela primeira vez, o brasileiro D.O.M., de Alex Atala, ficou fora da seleção principal, caindo da 30ª colocação em 2018 para a 54ª em 2019.  O D.O.M. já esteve no topo da lista: em 2012, a casa paulistana ocupou o 4º lugar. Desde então vem perdendo posições no ranking internacional.

O paulistano Maní, de Helena Rizzo, e o carioca Lasai, de Rafael Costa e Silva, subiram de posição para a 73ª e a 74ª colocação, respectivamente. Em 2018, o Maní estava em 87º e o Lasai em 100º.

A notícia boa é que tem brasileiro novo na área: o carioca Oteque, do chef Alberto Landgraf, que acabou de completar um ano, entrou para o rol no 100° lugar. A grande expectativa dos brasileiros para a primeira lista é que A Casa do Porco esteja entre os 50 melhores do mundo este ano. O restaurante de Jefferson Rueda estreou na lista em 2018, na 79ª posição. E, agora, não está na seleção que vai do 51º ao 120º lugar, o que pode indicar sua subida; Veja a listagem completa aqui

A Casa do Porco foi aberta em outubro de 2015. Desde então, o chef Jefferson Rueda já abriu o Hot Pork e a Sorveteria do Centro ao lado da Praça da República.

A Casa do Porco foi aberta em outubro de 2015. Desde então, o chef Jefferson Rueda já abriu o Hot Pork e a Sorveteria do Centro ao lado da Praça da República. Foto: Nilton Fukuda|Estadão

Prêmios já divulgados

A francesa Jessica Préalpato foi eleita a melhor confeiteira do mundo em 2019, título concedido dentro da premiação do 50 Best. Com apenas 33 anos, ela comanda, desde 2015, a confeitaria do restaurante do chef Alain Ducasse no Hotel Plaza Athénée, em Paris, detentor de três estrelas Michelin

Já a americana Daniela Soto-Innes foi eleita a melhor chef mulher do mundo. A texana de 28 anos é a mais jovem a receber o prêmio que, no ano passado, foi para a irlandesa Clare Smyth , do Core, em Londres. 

O Lido 84, da Itália, foi classificado como o restaurante para ficar de olho e o chef espanhol José Andrés levou o título de ícone mundial, pelo seu trabalho humanitário. 

A chef Daniela Soto-Innes

A chef Daniela Soto-Innes Foto: Fiamma Piacentini

Mudanças em 2019

Em janeiro deste ano, a organização do prêmio anunciou grandes mudanças no tradicional ranking com o objetivo de modernizar e criar uma nova dinâmica para a lista.

A partir de agora, todos os restaurantes que já alcançaram o topo e os que vierem a alcançar não poderão mais participar nos anos seguintes. Eles entram para um novo grupo, batizado como “Best of the Best” (os melhores dos melhores), que vai reunir todas as casas que já ficaram em primeiro lugar.

Nos 17 anos da premiação, apenas sete chegaram ao topo: El Bulli (Catalunha; 2002, 2006, 2007, 2008 e 2009), The French Laundry (Califórnia; 2003 e 2004), The Fat Duck (Reino Unido; 2005), Noma (o primeiro endereço em Copenhague; 2010, 2011, 2012 e 2014), El Celler de Can Roca (Catalunha; 2013 e 2015), Osteria Francescana (Módena; 2016 e 2018) e Eleven Madison Park (Nova York; 2017).

O “Best of the Best” será lançado oficialmente na próxima cerimônia dos 50 melhores restaurantes do mundo.

Também foram anunciadas novidades na banca avaliadora. Agora, o júri composto por 1.040 pessoas será 50% feminino e 50% masculino. A nova política de paridade de gênero adotada pela organização também incentiva os votantes a levar em consideração questões como representatividade e diversidade dos restaurantes na hora de votar.

Por fim, os organizadores prometem para o meio do ano o lançamento de uma plataforma digital e um guia completo de restaurantes e bares ao redor do mundo que já entraram nas listas ou foram indicados pelos jurados. 

Não foi dito se as mudanças também serão aplicadas aos rankings 50 Best regionais, da América Latina e da Ásia. 

Ficou com água na boca?