Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Manì: festa de 15 anos na caixinha

A chef Helena Rizzo criou um menu-degustação comemorativo para delivery com pratos que saíram de cena do cardápio do restaurante

17 de março de 2021 | 05:00 por Patrícia Ferraz, O Estado de S.Paulo

Saudade do rosbife em crosta de lapsang souchong, o prato do Manì que levou o Prêmio Paladar em 2009? Aproveite porque ele está de volta, mas apenas para a comemoração dos 15 anos do restaurante, completados no dia 3 de março. Havia uma festança sendo planejada há tempos: uma série de jantares sensoriais com menu-degustação de 15 pratos, entre os que marcaram a história do restaurante, clássicos revisitados e novas criações. Cada etapa seria harmonizada com músicas e projeções cenográficas. Ficou para outra hora. “Quem sabe na comemoração dos 16 anos...não sei, mas quando fôr possível vamos fazer, sim”, promete a dona da casa Helena Rizzo.

Entrada. Bombom combina queijo de cabra defumado e cupuaçu

Entrada. Bombom combina queijo de cabra defumado e cupuaçu Foto: Roberto Seba

Com o restaurante fechado por causa da pandemia, o jeito foi embalar a festa para viagem. A chef criou um menu-degustação comemorativo para delivery com pratos que saíram de cena. O Menu Manì 15 anos entrou em cartaz na semana passada e fica até o fim do mês. 

Tem cinco etapas, a primeira é ítem que está no cardápio desde o início: a placa de polvilho do couvert. Ela chega em saco de papel, com as instruções para o aquecimento. As duas entradas retratam os elementos básicos da cozinha do Manì: delicadeza, criatividade, técnica e, acima de tudo, a busca por sabores instigantes.  O bombom combina queijo de cabra defumado e cupuaçu. Delicioso, desmancha na boca.

O ravióli de beterraba é sublime: a beterraba é cozida em crosta de sal, fatiada, defumada, recheada com patê de fígado de galinha e dobrada como um ravióli. Vem com molho à base de gordura de pato, amoras frescas e picles de cebola roxa. Por sorte, ninguém precisa escolher entre as duas entradas, elas chegam em caixinhas separadas, com seis unidades de cada.

Clássico. Rosbife em crosta de lapsang souchong

Clássico. Rosbife em crosta de lapsang souchong Foto: Lufe Gomes

O rosbife continua em grande forma. O filé mignon é cortado, temperado com sal e pimenta, envolvido em uma crosta de carvão vegetal e lapsang souchong, um chá chinês que tem sabor defumado. Cozinha em baixa temperatura (63ºC) por uma hora, depois é marcado na chapa e aquecido no Josper, uma combinação de churrasqueira e forno. É servido com purê de batata levíssimo, feito com maionese de açafrão, alcaparra, pepino, cebola e coberto por uma nuvem de ovo cozido ralado. Nenhum chef criativo, como a Helena Rizzo, gosta de saudosismo – e o Manì tem sempre o olhar voltado para o novo. O.k., isso posto, sou pela volta imediata e definitiva desse prato ao cardápio. 

Em casa. Menu 15 anos Manì 

Em casa. Menu 15 anos Manì  Foto: Fabiana Caffaro

A sobremesa é outro clássico, o cubo mágico feito com gelatina. Criação da chef especialmente para uma matéria do Paladar sobre cozinha retrô, em fevereiro de 2010. São cubinhos de suco de fruta clarificado, gelificados com a gelatina vegetal ágar-ágar. Vem com creme inglês e um toque de leite condensado. “Eu viraria o cubo em um bowl e jogaria o creme por cima”, sugere a chef.

O Manì evoluiu, mudou, inventou moda ao longo de sua história, mas sua cozinha nunca perdeu a capacidade de proporcionar prazer e surpresa – no salão ou na caixinha! Que tenha saúde para enfrentar o momento e celebrar mais quinze.

O menu Manì 15 anos é para duas pessoas, tem cinco etapas e custa R$ 300. Entrega pelo IFood até o fim do mês.

Sobremesa. Cubo mágico feito com gelatina

Sobremesa. Cubo mágico feito com gelatina Foto: Fabiana Caffaro

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?