Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Noma se muda temporariamente para a Austrália

René Redzepi, chef do Noma, vai fechar seu premiado restaurante em Copenhague para realocá-lo do outro lado do mundo: a partir de janeiro de 2016, a casa vai funcionar em Barangaroo, área portuária de Sidney, durante dez semanas. O local abrirá para almoço e jantar e terá 50 lugares.

27 julho 2015 | 15:26 por redacaopaladar

Não é a primeira vez que o Noma muda de locação. Em janeiro, a equipe passou cinco semanas em Tóquio, no hotel Mandarin Oriental, e também participou das Olimpíadas em Londres com uma versão pop-up. Para a empreitada australiana, Redzepi vai levar o time completo do restaurante, incluindo chefs, garçons e equipe administrativa. Os familiares de cada funcionário também irão junto, totalizando cerca de cem pessoas.

Redzepi seguirá os passos de Heston Blumenthal, que fechou as portas em Londres e abriu o Fat Duck durante seis meses em um casino em Melborne neste ano. Diferentemente de Blumenthal, no entanto, Redzepi não pretende cozinhar os pratos que o fizeram famoso no Noma: o objetivo é usar ingredientes e inspirações locais para criar um cardápio exclusivo, como aconteceu durante a estadia no Japão.

FOTO: REUTERS/Yuya Shino

Em um comunicado divulgado pelo chef, ele fala do seu desejo de explorar a conexão entre o oceano e a terra. “Desde minha primeira viagem a Austrália, há muitos anos, eu venho querendo passar mais tempo lá, explorando, provando e entendendo seus ingredientes, das frutas tropicais à folha de pimenta nativa da Tasmânia”, escreveu.

As reservas para o restaurante irão abrir no final deste ano e, se for como experiência no Japão, vão esgotar em horas. Apesar de mais de 60 mil pessoas terem se registrado com interesse de jantar em Tóquio, apenas 3.500 conseguiram a reserva – apesar do preço de U$ 500 dólares por pessoa (sem bebidas inclusas).

Ficou com água na boca?